SMTT proíbe estacionamento na Francisco Porto

0

Mudança começou a vigorar na manhã desta segunda-feira, 14
Desde a manhã desta segunda-feira, 14, o estacionamento de veículos está proibido nas duas vidas da avenida Francisco Porto – a partir do elevado Wellington Paixão e até a avenida Beira Mar – entre às 6h e às 20h. A medida, aplicada pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) há alguns meses nos principais corredores de transporte coletivo, vem dividindo opiniões.

O objetivo, segundo o órgão, é melhorar não só o tráfego dos ônibus, fazendo-os cumprir horários, como aumentar a fluidez em áreas de intensa circulação de veículos. Segundo o diretor de Trânsito do órgão, Major Paiva, a liberação de mais uma faixa aumenta em até 33% a capacidade de fluxo. “Os motoristas que antes contavam com apenas duas vias agora têm três. Facilitará muito o dia-a-dia de quem passa por aquele local”, explica.
Major Paiva ressalta os ganhos com a fluidez no trânsito


Desde a última quinta-feira, 10, a sinalização da avenida Francisco Porto havia sido iniciada, assim como a orientação dos motoristas. Por mais duas semanas, agentes da SMTT continuarão com o trabalho de orientação aos condutores. “A autuação, nesse primeiro momento, vai ser para aqueles que insistirem em descumprir”, lembra Paiva.

Comerciantes e moradores

Morador do bairro Salgado Filho há 37 anos, o senhor Ederaldo Barreto analisa os dois lados da questão. Ele acredita que a medida é correta, mas alerta para a necessidade de existirem estacionamentos que compensem a proibição. “”Fecha-se uma porta e abre-se outra’, como dizem por aí. É preciso que se dê uma alternativa àqueles que precisam estacionar na avenida e realizar suas atividades”, reivindica.

O sr. Ederaldo acredita que a mudança não será boa para sua loja
Ederaldo questiona a necessidade da proibição. “Não há nenhum dano causado por quem estaciona aqui. Acaba-se exigindo tudo do usuário, enquanto o Poder Público não providencia nada”, contesta. Ele possui uma loja de colchões anexa à residência onde mora e acredita que o movimento diminuirá. “As pessoas começarão a ir para o shopping”, afirma.

Já a operadora de caixa Neuzete Costa, que trabalha em uma sorveteria da avenida há 15 anos, vê com bons olhos a iniciativa. “As pessoas não respeitam as calçadas e nem os estacionamentos privados. Nesse estabelecimento já tivemos vários problemas nesse sentido”, lembra. De acordo com Neuzete, o maior benefício será para o horário de pico – às 12h e às 18h -, pois o trânsito pode ficar mais livre.

Neuzete ressalta que motoristas devem ser educados
“O trânsito chega a ficar parado em uma fila enorme. Aracaju cresceu e o número de carros também. É preciso educar os motoristas, porque ainda há uma falta de respeito grande”, diz Neuzete.

Resultados

O Major Paiva lembra, entretanto, que com a maior fluidez no trânsito, a resistência dos comerciantes à mudança pode diminuir. “A facilidade de tráfego pode, inclusive, atrair mais pessoas para a área”, afirma.

Ele acrescenta que nos outros pontos onde a proibição está em vigor os resultados são visíveis. “Na Hermes Fontes já vemos de forma mais clara como o movimento de carros nos horários de pico diminuiu”, conta.

De acordo com Paiva, outras áreas estão sendo estudadas para aplicação das mesmas regras. “Estamos priorizando as vias utilizadas por ônibus”, ressalta. Até aqui já foram alvo da proibição de estacionamento as avenidas Beira Mar – da área dos mercados até a Francisco Porto -, Barão de Maruim, Hermes Fontes, Silvio Teixeira e rua Geru.

Por Diógenes de Souza e Carla Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais