SSP falta identificar dois corpos enterrados na borracharia

0
Momento em que agentes periciam o local onde corpos foram encontrados (Foto: Arquivo Ascom/SSP/SE)

A Polícia Civil ainda não identificou oficialmente dois dos quatro corpos das vítimas do borracheiro Josenaldo dos Santos Silva, acusado de matar as pessoas e enterrá-las em dois imóveis. Três corpos foram encontrados enterrados nos fundos do imóvel onde funcionava a borracharia do acusado, no conjunto Marcos Freire, e um outro em uma casa na Piabeta, onde ele residia, no município de Nossa Senhora do Socorro. O acusado está preso e existe um requerimento buscando informações sobre a sanidade mental do acusado formalizado ao Poder Judiciário pela autoridade judicial.

O Ministério Público Estadual e a Defensoria Pública do Estado já foram intimados, mas ainda não se manifestaram sobre o requerimento da autoridade policial. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública, há quatro inquéritos policiais distintos sobre este caso, que investigam, individualmente, as mortes de cada vítima.

Dois deles já foram concluídos com as vítimas identificadas oficialmente. Conforme a assessoria, estão concluídos os inquéritos policiais instaurados para investigar o desaparecimento de Maria Aparecida da Conceição, cujo corpo encontrado enterrado na borracharia e identificado através das expressões faciais em exames coordenados pela odontolegista Suzana Maciel, da SSP, e Antonio José Batista, cuja ossada passou por análises antropológicas e odontológicas que foram primordiais para a identificação.

Pendências

O borracheiro acusado pelas mortes foi preso em flagrante no início do mês passado, teve o flagrante homologado judicial e a prisão foi transformada em preventiva em audiência de custódia, decisão da juíza Hercília Maria Fonseca, durante o plantão judiciário. Dois corpos continuam sem identificação oficial. Um deles seria Denilson Manoel dos Santos, que está desaparecido, e o outro de uma mulher, cujos restos mortais foram encontrados na Piabeta, que o acusado teria conhecido em um bar e cometido o homicídio há cerca de oito anos.

Os exames dos restos mortais que seria de Denilson Manoel estão praticamente concluído, segundo informações da odontolegista Suzana Maciel. Mas ainda estão pendentes de detalhes para a conclusão.

por Cassia Santana

 

Comentários