Sujeira nos ônibus: de quem é a culpa?

0

Limpeza é responsabilidade de todos
Diariamente milhares de usuários circulam nos ônibus que fazem o transporte coletivo de Aracaju. No sobe e desce de passageiros alguns deixam para atrás papéis de bala, cascas de amendoim, chicletes, muita poeira, entre outros ‘lixinhos’ que tornam o ambiente do ônibus sujo e desagradável para quem precisa utilizá-lo diariamente.

As empresas que operam no sistema de transporte da cidade afirmam que a limpeza é feita diariamente, mas falta educação por parte do usuário. “O ideal seria o cidadão não sujar”, declara o empresário Adierson Monteiro, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp).

Vitória Ingrid aprendeu cedo a lição
Ele explica que à noite quando os veículos vão para o pátio das empresas, passam pela máquina de lavagem externa. Logo após, uma equipe faz a limpeza interna, através da higienização de bancos e do chão dos ônibus. No entanto, apesar desse processo ser rotineiro, ele assume que há falhas na gestão, pois, “nem todos os colaboradores cumprem seu papel de forma correta”. Apesar disso, ele reforça que “a falta de educação do cidadão brasileiro contribui negativamente nesse aspecto”.

Vitória Ingrid, 10 anos, mora no Parque dos Faróis e circula diariamente de ônibus para ir à escola. Apesar da pouca idade, ela critica a atitude da maioria das pessoas. “O que mais vejo é o povo comendo amendoim e jogando as cascas no chão. Mas

Márcio Renan diz que licitação pode ser a solução
já vi gente escrevendo nas cadeiras e até mesmo quebrando janela”, relata a pequena.

Dedetização

Já Márcio Renan, que depende do transporte coletivo para ir e vir do trabalho, conta que além do lixo, lhe incomoda a visita indesejável de alguns insetos dentro dos ônibus. “Já vi barata, caramujo, besouro e se procurar até escorpião a gente acha”. Para ele a culpa da falta de uma dedetização adequada dos veículos é a inexistência de uma licitação para a escolha das empreses que atuam na cidade. “Se tivesse licitação quem não prestasse um bom serviço saia”, declara.

Adierson Monteiro explica que algumas empresas 

Tânia: “As pessoas não sabem zelar”
acabam deixando a desejar no quesito de dedetização. “Há um prazo de validade das dedetizações e realmente algumas empresas deixam de fazer no prazo correto”, declara o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp).

Lixeira resolve?

Os relatos da insatisfação de quem anda de ônibus não são poucos. A dona de casa Tânia Maria dos Santos afirma: “nunca vi ninguém botando lixo na lixeira”. Para ela boa parte da sujeira é culpa dos usuários. “Acredito até que as empresas limpam, mas as pessoas é que sujam,

Adierson acredita que lixeira não é a solução
bagunçam, não sabem zelar”.

A pequena Vitória Ingrid, 10 anos, é uma exceção. Ela aprendeu cedo que lugar de lixo e na lixeira e segundo ela, nunca joga nada no ônibus. “Quando tenho algum papel coloco na bolsa pra jogar no lixo”, afirma, acrescentando que faltam lixeiras nos ônibus. Apenas os ônibus mais novos, possuem pequenas lixeiras, geralmente uma na parte traseira do veículo e outra na parte da frente, perto do motorista. 

Para Adierson Monteiro, a sujeira dos ônibus “é um problema de educação mesmo” e independe da presença de lixeiras ou não nos veículos. “Não adianta colocar 10 ou 20 lixeiras. Não é quantidade que vai educar o cidadão”, ressalta.

Por Carla Sousa

Comentários