Susto: polícia resgata criança raptada

0

Na noite do último sábado, 3, uma criança de apenas um ano e dois meses foi raptada da porta de casa. O fato aconteceu por volta das 20h30 no bairro Siqueira Campos quando os pais da criança saíram do carro para fechar o portão enquanto o bebê permanecia dentro do veiculo. Nesse momento o carro deles foi furtado, sendo que o filho estava dentro, numa cadeirinha acoplada ao banco traseiro.

As vítimas acionaram a PM de imediato e o automóvel passou a ser monitorado por quase duas horas, até que foi visto entre os conjuntos Rosa Elze e Eduardo Gomes, em São Cristõvão. A polícia fez um cerco na região com sete equipes, até que localizou o bebê na residência de uma senhora, que se assustou com a movimentação policial.

“O infrator parou em frente a uma casa e pediu que a moradora ficasse com seu suposto filho enquanto ele buscaria ajuda para consertar seu carro, mas logo ele entrou no automóvel e partiu. Ela aguardou um tempo e então informou o fato ao Ciosp 190 ao perceber que a Polícia Militar fazia rondas na área”, disse o tenente Clarkson Hora Brito, do Comando de Operações Especiais (COE).

A criança foi resgatada e devolvida aos verdadeiros pais, assim como o carro furtado, que foi localizado a pouco mais de três quilômetros do local, na rodovia João Bebe Água. “Seguimos com as buscas até encontrar o carro. Agora a Polícia Civil tentará identificar o infrator e possíveis comparsas deles”, acrescentou o tenente Clarkson.

Além do Comando de Operações Especiais e do Batalhão de Choque, a Polícia Militar mobilizou equipes da Companhia de Radiopatrulha (CPRp) e do 1º Batalhão Comunitário. Já a Polícia Civil deu apoio às ações através do Comando de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol).

Por Kátia Susanna, com Informações da SSP

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais