Tartarugas são atacadas por cães no litoral sergipano

0
Todas as tartarugas que foram atacadas pertencem a espécie das olivas. (Foto: Projeto Tamar)

As tartarugas estão em situação vulnerável nas praias de Sergipe. Isso porque os ataques dos cães tem sido frequentes neste ano, resultando na morte de 19 animais da espécie oliva no litoral de Sergipe.

De acordo com dados do Tamar, todos os óbitos foram de tartarugas fêmeas e quatro delas foram atacadas neste mês de dezembro. Segundo Fábio Lira, biólogo do Tamar, a orientação para evitar os ataques é não manter os cães a solta. “Os proprietários dos cães não devem deixar que os cães andem soltos. A gente conversa com eles e pedimos para que os cães fiquem presos. E quando forem sair que vá acompanhado com seu proprietário, pois uma vez que eles aprendem a atacar as tartarugas, é difícil alterar esse hábito. E eles inclusive passam para outros”, diz Fábio.

Apesar das orientações, há dificuldade também por conta dos animais em situação de rua. “Quando esses animais percebem outro animal, muitas vezes eles atacam. Tem alguns mais específicos, como animais em situação de abandono, com fome, que podem atacar para se alimentar. Essa situação da predação é algo complexa de ser trabalhada com animais de rua”, destaca o biólogo.

Até o momento, os ataques foram registrados nas localidades do Pontal da Ilha (Barra dos Coqueiros), Praia dos Náufragos (Aracaju), Ponta dos Mangues (Pacatuba), Praia da Caueira (Itaporanga D’Ajuda) e Praia do Saco (Estância).

Por Milton Filho e Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais