Táxis irregulares serão fiscalizados com mais rigor

0

Audiência reuniu representantes das SMTTs da grande Aracaju (Fotos: Portal Infonet)
O transporte clandestino irregular na zona metropolitana de Aracaju foi discutido na manhã desta quinta-feira, 27, no Ministério Público Estadual. O sistema de transporte de Aracaju vem sendo invadido constantemente por táxis de outros municípios desordenando todos os pactos firmados entre as Superintendências de Trânsito e Transporte da grande Aracaju. A partir do próximo mês, fiscalizações devem ser feitas pelos municípios da zona metropolitana para inibir a ação.

Pelo acordo, somente podem entrar para deixar passageiros em Aracaju, 130 táxis de São Cristóvão, 366 de Nossa Senhora do Socorro e 100 da Barra dos Coqueiros. Mas existem relatos de veículos de São Cristóvão e das outras cidades que fazem ponto em Aracaju.

Luiz Cunha/presidente do Sintax
De acordo com presidente do Sindicato dos taxistas do Estado (Sintax), Luiz Cunha, a situação está muito grave, inclusive com relatos de agressões entre taxistas de Aracaju e cidades vizinhas. “A gente tem recebido diversas reclamações de transporte ilegal até de veículos de cidades de fora da zona metropolitana como Nossa Senhora das Dores”, contou.

Multa

Segundo o diretor de trânsito da SMTT de Aracaju, Major Paiva, cerca de 60 táxis irregulares são apreendidos por mês. “O problema é que 80% dos veículos que apreendemos são retirados no mesmo dia após o pagamento da multa pelos proprietários. Isso comprova que a atividade é altamente rentável”, disse.

Major Paiva contou mesmo com multa pesada taxistas continua infringindo
Paiva informou que a multa de liberação para táxis apreendidos rodando de forma irregular é de R$ 319 na primeira vez, já na reincidência é de R$ 638. “Nós não temos como manter esse veículo depois que o proprietário pagar a multa e mesmo após o pagamento da multa, muitos voltam circular irregularmente”, informou.

A promotora de justiça Euza Missano informou que o Ministério Público irá conceder um prazo de 60 dias a partir de 1º de junho para que a SMTT da Barra dos Coqueiros, São Cristóvão e Nossa Senhora do Socorro mantenham barreiras fixas na principal entrada de acesso para Aracaju até as 21h como forma de reduzir a clandestinidade.

Euza concedeu prazo de 60 dias para adequação dos táxis
Além disso, a SMTT de Aracaju se comprometeu a manter fiscalização rotativa, enviando relatórios de fiscalização ao MP no final de cada mês. Segundo Euza Missano, o acordo não inibe que no período de 60 dias, a promotoria ajuíze alguma ação. “Desde 2003 que o Ministério Público se preocupa com a clandestinidade do transporte público. As SMTTs dessas localidades permitiriam a entrada, mas é proibido área de estocagem dentro de Aracaju, assim como o transporte de passageiros dentro de Aracaju”, ressaltou.

Por Bruno Antunes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais