Taxistas protestam contra prisão de colega

0

Taxista se reuniram em frente a Delegacia de Homicídio
Taxistas fizem manifestação na manhã desta sexta-feira, 15, em frente à Delegacia de Homicídios, no bairro Orlando Dantas. Eles protestaram contra a prisão de José Francisco dos Santos, 40 anos, acusado de levar drogas para o presídio de Areia Branca dentro de alimentos na última terça-feira, 12.

Segundo o presidente da cooperativa de táxi, Antônio Fausto de Matos, José Francisco não sabia o que estava transportando. “Ele apenas levou uma encomenda, como todas as outras que transportamos. Nós não abrimos para saber o que é. No caso dele eram apenas alimentos que deveriam ser entregues na penitenciária”, relatou.

O presidente também explicou que o taxista recebeu a quantia de R$ 6. “O valor que foi cobrado pelo taxista foi o valor que cobramos para fazer entregas que estão dentro do percurso da viagem. Ele não foi pago para entregar drogas, até porque é um homem de bem”, pontuou Antônio.

Presidente da cooperativa de taxi
No momento do frete, 21 taxistas estavam presentes no ponto, dentre eles Cosme Andrade Passos que informou que qualquer um dos taxistas poderia ter feito a entrega. “Chegou um rapaz com as sacolas e perguntou qual carro sairia primeiro, então informamos que era o de José Francisco. Esse homem perguntou qual o valor da entrega e escreveu o nome do detento na sacola e mandou entregar na portaria”, explicou.

Segundo Cosme, o taxista realizou a entrega e seguiu viagem até Itabaiana, onde depois de um tempo recebeu uma ligação da esposa, comunicando que ele havia recebido uma intimação.

“A prova de que ele é inocente, é que quando foi intimado ele compareceu ao presídio sozinho, sem advogado sem nada. De lá ele já foi encaminhado para a Delegacia de Itabaiana e agora está aqui na de Homicídio”, relatou Cosme.

Inconformados

Filha do taxista preso estava incoformada
Familiares do taxista também estiveram presentes na manifestação na tentativa de conseguir falar com o acusado. “Estamos aqui sem contato desde a terça-feira, quando ele foi preso. Ele não bebe, não fuma é um homem de bem e nunca teve nenhum envolvimento com nada de errado”, comentou a cunhada Genalva Santos.

Os manifestantes ficarão em frete à Delegacia, onde uma comissão de cinco pessoas irá tentar conversar com o delegado. “Nós queremos entender porque não houve uma investigação. Ninguém esteve no ponto de táxi para saber se alguém presenciou o fato. Porque não procuram saber do detento quem foi que mandou os alimentos? Se estamos aqui nos envolvendo é porque sabemos que este homem é uma pessoa de bem”, finalizou o presidente do sindicato dos taxistas.

Por Alcione Martins e Carla Sousa

Comentários