Técnicos estudam forma de repovoar mangues sergipanos

0

Os pesquisadores da Universidade Federal do Paraná – que foram responsáveis pelos estudos que detectaram o fungo responsável pela mortandade do Caranguejo Uçá nos manguezais sergipanos – estão agora, a pedido do governo do Estado, testando formas para repovoar o ecossistema do crustáceo. Pesquisas para criação de larvas da espécie do caranguejo estão sendo realizadas na instituição.

 

As larvas do caranguejo estão sendo armazenadas em tanques térmicos e em placas de lamas trazidas dos mangues. Os técnicos da Universidade já conseguiram cultivar em cativeiro mais de 300 mil crustáceos o quê, segundo eles, é três vezes mais do que os Estados Unidos produzem por ano. Os pesquisadores também estão estudando o ciclo do fungo, responsável pela mortandade, para descobrir qual é o causador da transmissão da patologia e encontrar o antígeno.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais