Terceirizados da Oi cruzam os braços em Sergipe

0

Trabalhadores na porta da empresa (Fotos: Portal Infonet)

Trabalhadores da Empresa RM, terceirizada da Oi Telecomunicações em Sergipe cruzaram os braços nesta segunda-feira, 2, por tempo indeterminado. Representantes do sindicato da categoria, o Sinttel, tentaram um acordo para reajustar os salários por 13 vezes, mas sem sucesso. Os funcionários realizaram um ato na porta da empresa nesta tarde e garantem que só retornam ao trabalho com uma posição da diretoria que procurada pela reportagem do Portal Infonet, informou estar participando de uma reunião.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações (Sinttel) em Sergipe, Iaraci Maria Silva, explicou ter tentado por diversas vezes chegar a um acordo para que não levasse à greve por tempo indeterminado, mas não conseguiu.

“Nós nos reunimos por 13 vezes, mas a gerência não quer pagar nem mesmo o acordado junto à empresa antiga, a MM, que era de um piso de R$ 541, quando o salário mínimo vigente no país era de R$ 510. A proposta da RM Telecomunicações é vergonhosa. Eles estão oferecendo um salário de R$ 575 até 2012 para instaladores, cabistas e distribuidores gerais. É impossível fechar este valor”, destaca a sindicalista.

Iaraci Silva: "Tentamos negociar por 13 vezes"

Ela disse ainda a greve dos 350 terceirizados da Oi em Sergipe foi definida em assembléia geral da categoria. “Nós estamos com o acordo em aberto e vamos continuar lutando por salários dignos. A proposta da empresa é de salários mais baixos do que os trabalhadores ganhavam em 2010”, lamenta.

A reportagem do Portal Infonet, tentou insistentemente ouvir a coordenadora geral da empresa, a Srª Gerda Moura, mas os vigilantes não permitiram a entrada. Pelo portão fechado, a informação foi de que ela estava em reunião e não podia atender. Da redação foram feitas várias ligações, mas a resposta foi a mesma: “ela está em reunião e não pode falar”.

O ato desta tarde contou com a participação do presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT)/SE, Rubens Marques, o professor Dudu, que lamentou a situação dos terceirizados da Oi.

O Portal Infonet continua a disposição de Gerda Moura para quaisquer esclarecimentos.

A imprensa não teve acesso à empresa

Por Aldaci de Souza

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais