Trabalhadores rejeitam proposta e greve continua

0

(Foto: Portal Infonet)

Trabalhadores da construção civil continuam em greve por tempo indeterminado. Nesta sexta-feira, dia 17, representantes do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil (Sintracon) se reuniram com representantes da classe patronal na Superintendência Regional do Trabalho (SRT) na tentativa de abrir um diálogo entre  às partes.

A greve foi iniciada na última segunda-feira, dia 13, quando os trabalhadores se concentraram na praça Fausto Cardoso e realizaram um grande ato tomando as ruas do centro da capital. Os trabalhadores pedem 15% de reajuste salarial, auxílio cesta básica no valor de R$ 150 reais e plano de saúde.

De acordo com o vice-presidente da Força Sindical, Alexandre Delmondes, durante reunião, a categoria não aceitou a proposta da classe patronal que ofereceu 8% retroativo a março e auxilio a cesta básica no valor de R$ 50 reais válido a partir de setembro. “A reunião foi hoje às 9h30, mas apesar do valor oferecido pela classe patronal, eles não aceitaram e a greve continua”, afirma Delmondes.

Uma nova manifestação está marcada para acontecer na próxima segunda-feira, 20, a partir das 7h, na praça Olímpio Campos. Na oportunidade, os trabalhadores realizarão uma nova assembleia quanto aos rumos do movimento.

Sinduscon

Abaixo segue o comunicado do Sinduscon.

O SINDUSCON-SE tem sido sensível e justo quanto às reivindicações de todos os trabalhadores nos últimos cinco anos. Neste período, eles tiveram um aumento de 65,89%, o que representa um ganho real de 34,01% sobre a inflação oficial, além da conquista do café da manhã.

Na sexta-feira (17/05), através de convite da Superintendente do Trabalho e Emprego, foi feita nova rodada de negociação e fechado um acordo ainda mais vantajoso para o trabalhador.
Neste acordo assinado pelo SINTRACON, foi acertado um reajuste de 8%, retroativo a março, e cesta básica de R$ 50,00.

Em uma atitude de desrespeito à Superintendência do Trabalho, às comissões de negociação patronal e dos trabalhadores, parte da diretoria do SINTRACON informou, à tarde, que o acordo assinado ao meio dia não estava valendo, e a greve iria continuar.

Não acreditamos que esta seja a postura dos trabalhadores da construção civil e cremos que os limites foram ultrapassados com esta atitude desrespeitosa, que faz com que as vantagens para os trabalhadores demorem ainda mais. Embora entendamos ser legítimo aos trabalhadores exercerem o seu direito de greve, o SINDUSCON/SE considera esta atitude desrespeitosa e inoportuna. O que o SINTRACON assina e diz muda de hora em hora, por isso não merece confiança.

 *A matéria foi alterada às 09h24 do dia 18 de maio para acréscimo do comunicado do Sinduscon

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais