Vendedores aproveitam movimento em cemitérios para ganhar renda extra

0
João Lima vende flores todos anos no Dia de Finados (Foto: Portal Infonet)

O feriado do Dia de Finados é uma oportunidade para muita gente ganhar uma renda extra. Com o movimento intenso nos cemitérios, vendedores dividem espaço com os visitantes oferecendo seus produtos.

Venda de flores, alimentos, bebidas, planos funerais, limpezas de túmulos e serviço de mototáxi são alguns dos produtos vendidos durante este sábado,2, em frente aos cemitérios da capital. No Cemitério São Batista, local onde o movimento de pessoas é grande, não faltou gente vendendo coisas.

O comerciante de flores permanentes, João Lima, que trabalha no ramo há 10 anos, aproveita o feriado de finados para vender flores em frente ao cemitério. Ele conta que esse ano as vendas estão mais fracas, mas que ainda assim vale muito aproveitar a data. “Esse ano está mais fraco, mas sabemos que o lucro aqui é de 100% e o que sobrar não se perde, diferente das flores naturais, as artificiais duram muito tempo, então sempre vale a pena vir aqui vender”, conta.

Adones Sousa espera vender todos os seus pasteis até o final do dia (Foto: Portal Infonet)

Sandra Lima, que também comercializa flores permanentes, explica que esse ano trouxe apenas vasos de flores de R$ 5 e R$ 10 que são os que mais são vendidos. “ Algumas pessoas compram vasos maiores de R$ 25, R$ 30, mas os mais baratos são os que vendem, então esse ano eu trouxe as flores mais simples, mais baratas porque é o que os consumidores querem”, afirma.

Quem também aproveitou o movimento nos cemitérios para faturar uma renda extra foi o vendedor de pastel Adones Sousa. Ele conta que espera vender todo seu estoque até o final do dia. “Eu vendo dia de sábado na feira, mas no dia de finados eu sempre vendo aqui também. O movimento é grande e todo mundo gosta de um pastelzinho com caldo de cana”, brinca.

Daiane de Andrade está desempegada e vende geladinho gourmet (Foto: Portal Infonet)

Daiane de Andrade está desempregada há alguns meses e vende geladinhos gourmet para ajudar nas despesas. “Estou aproveitando que hoje tem muita gente aqui, que o sol está forte, o calor está grande para vender meus geladinhos. Sem emprego a gente se vira como pode”, diz.

Por Karla Pinheiro

Comentários