Vigilantes de empresas privadas realizarão protesto

0
Vigilantes realizarão ato amanhã (Foto: Arquivo Infonet)

Os vigilantes de empresas privadas realizarão um ato de protesto na próxima quarta-feira, 10, em frente à Assembleia Legislativa. Os vigilantes reivindicam por melhores condições de trabalho e pelo adicional de 30% de periculosidade.

De acordo como presidente do Sindicato dos Vigilantes de Sergipe, Reginaldo Gonçalves, os vigilantes estão trabalhando em péssimas condições. “A nossa principal reivindicação é pelo pagamento dos 30% de periculosidade, lei sancionada pela presidente ano passado.  Há também relatos de muitos vigilantes no sindicato sobre as péssimas condições de trabalho”.

Ainda segundo o Sindicato dos Vigilantes de Sergipe, no início do mês de abril um vigilante foi espancado e alvejado na perna no município de Capela. “Ele estava fazendo a segurança quando foi surpreendido. Muitos vigilantes trabalham em locais quase escuros dificultando a visibilidade, sem falar nas péssimas condições dos coletes”, reclama Reginaldo.

O vigilante José William Mota afirma que os vigilantes estão em constante situação de riscos, pois estão expostos a assaltos e agressões. Segundo o vigilante, entre os dias 25 de março e 5 de abril foram registradas seis ocorrências envolvendo casos de agressão e roubo de vigilantes.

“Uma profissão perigosa em que os 30% de perigurosidade devem ser pagos.  A lei foi sancionada em 8 de dezembro de 2012 e queremos que ela seja cumprida”, afirma José William. O ato dos vigilantes acontecerá a partir das 7h30 na Assembleia Legislativa.

Sindesp

Em entrevista ao Portal Infonet, o presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado de Sergipe (Sindesp), Marco Aurélio Pinheiro, rebateu as denúncias da falta de condições de trabalho feitas pelo Sindicato dos Vigilantes. Quanto aos 30% de periculosidade,  Marco Aurélio ressaltou que a lei precisa de regulamentação para que seja aplicada. Ainda informou que o Sindesp já paga 15% para os todos os vigilantes.

Por Adriana Freitas e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais