Vítimas soterradas podem receber alta até terça, 22

0
Huse: vítimas soterradas em escombros podem receber alta (Fotos: Portal Infonet)

Após 35 horas de tensão acompanhando o resgate do Corpo de Bombeiros, familiares das vítimas do desabamento de um prédio residencial de quatro andares [em construção], no bairro Coroa do Meio, zona Sul de Aracaju, se aglomeraram na porta do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse). Eles aguardavam ansiosos por notícias do estado de saúde dos familiares, Josevaldo da Silva, Vanice de Jesus, e da da filha do casal, uma criança de oito anos.

Bastante abalada com o ocorrido, a irmã de Vanice, Laura Cristina Lima, relatou que antes mesmo de saber do envolvimento de sua irmã no acidente, chegou a rezar pela vida das vítimas. “Ficamos sabendo pela internet, minha filha viu pela TV e reconheceu a tia saindo dos escombros. Ela estava morando com os filhos na minha casa no Sol Nascente, só que na sexta-feira, 18, ela tinha ido passar o final de semana na casa da cunhada, eu não sabia que ela tinha ido dormir lá. Quando vi a reportagem comecei a rezar sem saber que era a minha família, eu só soube quando minha filha viu na internet. Foi muito triste e penoso para a nossa família”, conta.

irmã de Vanice de Jesus, Laura Cristina Lima

A mãe de Josevaldo, Maria José da Silva, conta que só ficou sabendo do ocorrido na manhã desta segunda-feira, 21. “Fiquei sabendo da notícia hoje de manhã, porque só me falaram agora porque tenho depressão. Meu filho mora aqui em Aracaju e acho que morava na obra, porque ele tava separado da mulher, não queria ir para a casa dela, e aonde trabalhava, ele dormia na obra. Já conversei com ele e ele disse que no momento do ocorrido só lembrou de Deus e de mim. Pediu muito que Deus não levasse ele naquele momento, pois ele queria me ver, já que nunca mais tinha me visto”, conta.

Maria José parabenizou ainda o trabalho dos Bombeiros, pelo empenho durante o trabalho de buscas das vítimas nos escombros. “Estamos todos muito arrasados, mas agradeço a Deus e aos Bombeiros pelo trabalho que foi feito tão bem feito. Que mesmo em meio às dificuldades, ainda conseguiram salvar a vida de três com vida. Eles são uns heróis, estão de parabéns”, diz.

Quadro médico

A mãe de Josevaldo da Silva, Maria José da Silva

Em entrevista ao Portal Infonet, o médico emergencista, Johnson Lucas Marques, informou que o estado de saúde das três vítimas que estão internadas na Área Vermelha do Huse é considerado estável. “Foi um momento difícil, mas que com a ajuda de todos, por meio de um trabalho conjunto, foi importante para que se conseguisse o sucesso. Primeiro fizemos uma triagem, já sabíamos como estava mais ou menos o estado das vítimas. Das quatro, a gente tinha uma muito grave, que foi o bebê de 11 meses. As outras vítimas precisavam de cuidados, mas estavam estáveis”, conta.

Ainda segundo Johnson, com o quadro de saúde estável das vítimas, a previsão é de que elas possam ter alta médica até a próxima terça-feira, 22. “O quadro clínico do casal é bom, eles já estão de alta do setor mais crítico, aguardando vagas para serem removidos para a Verde trauma, setor menos crítico do hospital. É possível que ainda hoje ou nesta terça-feira, 22, eles possam ter alta hospitalar. A gente fez avaliações, reavaliações, avaliações com especialistas e não foi detectado nos exames radiológicos, nenhum tipo de fratura. Durante a remoção da criança, ela já apresentava parada cardiorrespiratória, foi tentada a reanimação mas não obtevemos êxito”.

médico emergencista, Johnson Lucas Marques

Por Leonardo Dias

Comentários