Você sabe o que é um filatelista?

0

Colecionar selos pode ser considerada uma mania, um hobby ou profissão. E é em homenagem a essas pessoas, que dedicam tempo e paciência a esta arte, que se comemora no dia 5 de março o Dia do Filatelista.

F
oi nesta data que Dom Pedro assinou o Decreto de 1829, que organizou os Correios do Brasil. Em 1969, em São Paulo, durante Congresso organizado pela Comissão Estadual de Filatelia ficou definido este dia como o Dia do Filatelista Brasileiro.

O primeiro selo brasileiro, o Olho-de-boi, foi lançado em primeiro de agosto de 1843, data que foi oficializada como o Dia do Selo. Além de ter sido o segundo país a emitir selos, o primeiro foi a Inglaterra, o Brasil se destaca no mundo da filatelia como precursor no lançamento de selos inovadores, como os selos legendados em braile ou o selo holográfico.

Filatelia em Sergipe – Em Sergipe, mensalmente os filatelistas se reúnem na Agência Filatélica dos Correios, localizada na Agência Central dos Correios. Eles aproveitam a ocasião para trocar selos e fornecer informações para quem deseja participar do seleto grupo de colecionadores. Segundo informações de João Viera, gerente da Agência Filatélica, lá se encontram cadastrados setenta filatelistas.

Muitos deles começaram tirando os selos das correspondências, o que pode acabar danificando–os. Daí, muitos passam a comprar os selos nos Correios companhando sempre o calendário de lançamentos das edições comemorativas.

O perfil de um colecionador é variado. E vai desde estudantes secundaristas até senhores aposentados e personalidades ilustres da sociedade, a exemplo do promotor de justiça Eduardo Seabra.

Há mais de quarenta anos colecionando selos, o promotor afirma que não dá para precisar a quantidade de selos que possui. Os seus preferidos são os temáticos de maçonaria e escotismo. Além disso, Eduardo possui algumas raridades, a exemplo do selo comemorativo da chegada do homem à lua, lançado nos Estados Unidos.

Duas coisas são muito importantes em se tratando de colecionar selos. A primeira é que se adquire um conhecimento vasto sobre o mundo e suas histórias. A segunda está relacionada a uma característica primordial de todo colecionador, a organização. “Organizar selos é um exemplo de como ser organizado na vida”, declara o promotor colecionador.

Por Carla Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais