Workshop discutirá estratégias para minimizar enchentes na Zona de Expansão

0

Encontro deve definir estratégias para evitar enchentes na Zona de Expansão (Foto: Arquivo Infonet)
A fim de consolidar estratégias para minimizar ou preparar a capital sergipana para os efeitos das enchentes na Zona de Expansão e na região metropolitana de Aracaju, estará sendo realizado nesta quarta-feira, dia 17, às 8h, no auditório da Codevasf, o Workshop do Projeto Gestão Integradas de Águas Urbanas Pluviais executado pelo Banco Mundial (Bird). O evento será aberto pelo secretário do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Genival Nunes.

O Workshop será parte integrante da programação de curso iniciado na tarde de ontem, dia 16, sobre a Gestão Integrada dos Recursos Hídricos com ênfase em águas pluviais. Durante o evento será  consolidado o diagnóstico do Projeto Gestão Integradas de Águas Urbanas e ainda discutido estratégias para definição das futuras ações do projeto no horizonte de curto, médio e longo prazo.

Curso

Os mecanismos para enfrentamento de enchentes com verificação de experiências de outros países, além da qualidade das águas pluviais, foram casos analisados durante realização do curso, o qual estará sendo encerrado no final na tarde de hoje.

Segundo o engenheiro civil da área de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Carlos Tucci, consultor do Banco Mundial no projeto, a aplicação dos mecanismos para Aracaju serão traçadas em conformidade com a realidade local. “O projeto de águas urbanas já foi aplicado na Europa e em alguns países, como Estados Unidos. Aracaju será dividida em sub-bacias e em cada uma dessas partes um processo diferente a ser realizado. Os mecanismos são diferenciados de uma área pra outra, os estudos decidirão quais. A idéia é buscar uma melhor combinação de soluções”, explicou o consultor que participa da aplicação do projeto.

Para o secretário Genival Nunes, o projeto prima a melhoria do ciclo das águas urbanas, iniciativa que considera de grande importância para o Estado, e de interesse de todos. “Por isso, os órgãos afins – os que trabalham nas áreas de  resíduos sólidos, hídricos e drenagem – devem somar-se à iniciativa. O projeto requer unidade entre setores afins, uma interação entre os serviços de drenagem, resíduos sólidos e esgotos. A expectativa com o projeto do Bird, apoiado pelo Governo do Estado e a Prefeitura de Aracaju, é que consigamos, de uma forma integrada, minimizar os efeitos das enchentes na zona de expansão e na região metropolitana de Aracaju”, destacou.

Perfil

Segundo explicou o representante do Bird, Thadeu Abicalil, Aracaju foi escolhida pelo Bird pelo fato de o Estado ter desenvolvido- em fase de conclusão- o  projeto apoiado pelo próprio banco, o “Águas de Sergipe”, que tem como principal meta a revitalização da Bacia Hidrográfica do rio Sergipe.  “Com isso a capital de Aracaju passa a ser a única cidade do Nordeste e do Brasil a ser Piloto da Gestão Integrada de Águas Urbanas.  Como ela, somente serão ainda projetos pilotos pra América Latina as capitais de Assunção, no Paraguai, e Tegucigalpa, em Honduras”, explicou a Thadeu.

Fonte: Semarh

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais