Zona Norte terá prioridade no plano de contigência

0
Legenda

Os bairros América, Porto Dantas, Cidade Nova e Soledade serão priorizados pelo Plano de Contingência para o período das chuvas, que está sendo elaborado pela Defesa Civil Municipal. Por conta das fortes chuvas já previstas para os meses de abril e agosto, o órgão reuniu nesta quinta-feira, 3, outras entidades municipais para discutir a criação de medidas preventivas e estratégias para a resolução das situações de emergência.

De acordo com a agente operacional da Defesa Civil, Kelly Assis, os quatro bairros priorizados apresentam altos riscos de deslizamentos, por conta das construções realizadas de forma irregular. “É o caso do bairro América, que tem locais com lixo descartado de forma irregular ou despejo indevido de águas servidas (água de esgoto). Esses fatores acabam sobrecarregando o local e causando risco de deslizamento”, explica.

Kelly Assis, gerente operacional da Defesa Civil

O mesmo problema atinge o bairro Porto Dantas, já que a área apresenta diversas encostas. “São encostas muito altas e perto de construções. Então, pela deficiência de drenagem de água no local, as encostas correm o risco de cair”, destaca.

Plano

O plano, que é elaborado em parceria com os diversos órgãos de apoio ao sistema de defesa civil municipal, pretende definir as atribuições de cada um deles, no intuito de garantir um melhor gerenciamento dos trabalhos e criará estratégias eficazes no atendimento à população. “O plano consiste em criar medidas preventivas para que, no momento do desastre, a gente saiba evitar ou minimizar os danos”, explica.

As ações, segundo o coronel, são imprescindíveis à construção de estratégias eficazes em casos de chuvas que causem fortes danos na cidade. “A gente só tem certeza da ocorrência das chuvas intensas algumas horas antes. Temos pouco tempo para dar a resposta a esse tipo de evento. Então é melhor ter tudo planejado, para ao menos, dar a primeira resposta à essa situação. Temos que ter o mínimo de preparação possível para que se ocorrer a gente atue”, afirma.

Coronel Reginaldo Moura

Durante o encontro, foram debatidas as ações que poderão ser realizadas por casa um dos órgãos. No caso da educação municipal, o representante Luiz Antônio, destacou que as unidades de ensino, nos casos de emergência, podem atuar dando suporte para abrigar as famílias que estão impossibilitadas de usar suas residências.

A vantagem, segundo ele, é que as unidades estão espalhadas desde a Orla Pôr do Sol até o Lamarão, o que possibilitaria uma ação mais direta de mobilização nas comunidades. “Podemos usar as diretoras, que tem uma relação muito próxima com a comunidade, para agenda uma reunião e convocar as famílias para uma ação de prevenção”, sugeriu.

O evento contou com a participação de representantes da secretaria de Planejamento, Educação, Meio Ambiente, Serviços Urbanos, Saúde, Transporte e Trânsito, além da Guarda Municipal. No dia 9, um novo encontro envolverá Defesa Civil Municipal e Estadual, Governo Federal, Corpo de Bombeiros, Deso, SAMU, Polícia Militar, Petrobras, dentre outros.

Comentários