Adelmário Coelho fala sobre a consolidação do forró sergipano

0

Natural de Curaçá, pequeno distrito de Barro Vermelho, a 90 quilômetros de Juazeiro, no norte da Bahia, Adelmário Coelho concedeu entrevista ao Portal Infonet e falou sobre sua apresentação em Itaporanga. O cantor também comentou sobre o grande show no Forró Caju, no último sábado 26, a consolidação do São João de Sergipe como um dos maiores do País, a importância da manutenção do genuíno forró nordestino, além de parabenizar a transmissão on-line feita pelas equipes da InfoNet nos quatro cantos do Estado. Portal InfoNet – O que o público pode esperar do show de hoje? Adelmário Coelho – A gente já sentiu o clima do município, que é muito bom. Um evento grande, com a participação extraordinária do público. É um privilégio tocar aqui. Com certeza será um grande show, com músicas dos meus grandes ídolos, principalmente do Trio Nordestino e do inesquecível Luiz Gonzaga. Portal InfoNet – Você já teve várias passagens pelo Forró Caju. Em Itaporanga, onde toca pela primeira vez, já sentiu a vibração do público que lota a praça de eventos. Quais são as peculiaridades dos festejos juninos em Sergipe, comparando-se com os demais Estados do nordeste? AD – O público sergipano é muito participativo, vibra bastante durante o show. No Forró Caju eu vi um público extraordinário, além de Rosário do Catete e Nossa Senhora do Socorro. O grande destaque do sergipano é justamente a participação e o amor incondicional ao mais puro forró. Portal InfoNet – O forró mais contemporâneo, conhecido como forró eletrônico, tem invadido as paradas de sucesso não apenas no Nordeste, mas em Estados que têm pouca tradição no que se refere aos festejos juninos. Como é sustentar o autêntico forró como bandeira de trabalho e fazer sucesso em todo o País? AD – Existe uma harmonia muito natural do público. Há bandas que fazem um trabalho novo, muito bonito, e a tendência é que o público se segmente. O forrozeiro genuíno não encara a música como um sistema mercadológico, mas como a defesa da nossa cultura popular que é tão rica. Estamos dando continuidade ao que foi defendido por Marinês, Dominguinhos, Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga e outros grandes nomes do nosso forró. Portal InfoNet – Sergipe tem se denominado o País do Forró. Um slogan governamental diz que Se Deus é brasileiro, São João é sergipano. Ontem, a quadrilha sergipana Maracangaia se sagrou campeã nacional, depois de 15 anos de espera. Como você avalia esta inegável consolidação dos festejos juninos de Sergipe como um dos melhores do País? AD – No dia 26 me apresentei no Forró Caju e fiquei encantado com o que vi. Houve uma preferência notável da Globo em transmitir para o Brasil o que acontecia em Sergipe. A Elba Ramalho disse que em nível quantitativo, e eu acrescento qualitativo, o São João de Sergipe surpreende. Passei por 37 municípios de cinco Estados que possuem tradição nos festejos juninos e o que eu vejo aqui não deixa a desejar nada para ninguém. Daqui a pouco vou acessar o site da InfoNet, muito inteligente, muito bonito, bastante informativo e acompanhar o que um dos melhores festejos do Brasil, que acontece em Sergipe, tem proporcionado aos internautas de todo o mundo. Por Lucas Rosário

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais