Arquitetos protestam contra demolição de residência modernista

0

Residência foi construída em 1952
Um grupo de arquitetos juntamente com alunos de graduação em Arquitetura e Urbanismo farão um ‘Velório Simbólico’ de uma construção localizada na avenida Beira Mar, n° 2130 , que foi demolida recentemente. A residência era uma das últimas obras pertencentes ao período modernista da capital sergipana e em seu lugar será construído um prédio residencial.

“Queremos mostrar à população que não podemos deixar nossa história ser destruída de forma tão banal e indiscriminada”, afirma a arquiteta Tainá Souza. Para não passar em branco o fato, os manifestantes irão acender velas e levar flores ao local onde antes abrigou a casa histórica.

 

Pouco antes da demolição do imóvel o grupo estava mobilizado para conseguir o tombamento da residência por ser um expoente da história da arquitetura sergipana. O ‘Velório Simbólico’ acontece às 19h30.

 

Histórico

A residência pertenceu à família Melo e foi construída em 1952. A casa primeiramente pertenceu a Osvaldo Marinho Tavares, dono de uma empresa de transporte. Posteriormente Wolney Leal de Melo e Maria Aguiar Melo foram os donos da propriedade. Wolney Melo foi um importante político do Estado, na década de 70 e chegou a presidir a Assembléia Legislativa. Maria Aguiar Melo foi a última proprietária da residência, que foi comprada por uma construtora.

Situada num terreno de aproximadamente 4.000m², “a residência com características modernistas se destaca pelo seu formato, seu jardim e ser uma das poucas residências na cidade de Aracaju com piscina naquela época”, explica Danielle Menezes, que realizou sua monografia de graduação em Arquitetura e Urbanismo sobre a referida obra histórica.

Comentários