Arrastão distribui quase mil livros nos calçadões

0

Evanto Santos montou arrastão na manhã desta terça-feira, 12
O ‘Arrastão Literário Tobias Barreto de Menezes’ distribuiu quase mil livros na manhã desta terça-feira, 12, nos calçadões do centro da capital. A iniciativa vem do sergipano Evando dos Santos, conhecido como ‘Homem-Livro’, que mora no Rio de Janeiro e é conhecido por promover ações que visam despertar a curiosidade e o incentivo à literatura. Livros de poemas e cordéis eram distribuídos a quem estivesse no centro comercial.

Evando considerou como sucesso a primeira edição do projeto em Aracaju. A capital foi escolhida principalmente por ter sido apontada como a cidade do país em que menos se lê. Além de contar com a ajuda de escritores sergipanos, professores do Município de Aquidabã e de escoteiros na entrega das obras, o número de exemplares superou as expectativas. “Mas o ideal seria que tivéssemos 10 mil livros”, contou.

Foram distribuídos livros de poemas, córdeis a quem passava no calçadão
A intenção de homenagear o sergipano Tobias Barreto, segundo ele, deu-se por conta da importância do escritor e do desconhecimento sobre ele por parte da população. “Ele foi o maior escritor brasileiro mas aqui, na sua terra, as pessoas conhecem pouco. A literatura sergipana é universal, por isso queremos despertar na mente das pessoas a importância da literatura”, disse Evando.

Afora o arrastão, Evando sempre está envolvido com tudo o que se relacione à literatura. No bairro da Penha, no Rio, ele montou há onze anos uma biblioteca de acesso livre onde reuniu mais de 55 mil livros. “Pelo menos trinta pessoas por dia passam por lá”, conta. As atividades do Arrastão seguem até sexta-feira, 15. Grupos de teatro também encenarão peças da literatura sergipana.

Intelectuais elogiaram a iniciativa

Domingos Pascoal e Gizelda Morais participaram do evento
A escritora Gizelda Morais esteve presente no arrastão e também doou alguns de seus livros para a iniciativa. Ela elogiou a atitude do ‘Homem-Livro’, principalmente por conhecê-lo em toda a sua trajetória. “É um trabalho extraordinário. Uma pessoa que só conseguiu se alfabetizar aos 15 anos e faz coisas que seriam o dever de órgãos culturais”, elogiou.

Para Gizelda, atitudes como a de Evando estão em falta e talvez isso explique o baixo índice de leitura entre os aracajuanos. “Precisamos de mais iniciativas como essa. Nossa cidade é conhecida por várias qualidades, então é necessário que haja uma maior preocupação com isso. Temos como exemplo as bibliotecas, que precisam urgentemente ser atualizadas pois o acervo ainda é muito pobre”, criticou.

Josenilson e Aline aprovaram a iniciativa
O imortal da Academia Sergipana de Letras (ASL) Domingos Pascoal disse que o Arrastão é uma prova do poder que a leitura tem. “Isso é uma chama pequena, mas com mais combustível vai incendiar a cultura sergipana”, metaforizou. Para ele, o fato de homenagear Tobias Barreto também é de extrema importância para que as pessoas conheçam mais da cultura sergipana.

População aprova

O casal Josenilson e Aline Bispo também ressalta a homenagem ao escritor sergipano lembrando a importância que a leitura pode trazer. “Tivemos recentemente um cidadão de Tobias Barreto que ganhou um concurso latino-americano de redação e pouca gente soube disso. Essa ação traz uma influência positiva. O livro transforma o ser humano”, afirma Josenilson, que é secretário de Cultura daquele Município. “Que mais pessoas vejam nisso um incentivo para mudar de vida”, acrescentou Aline.

Comentários