Artesanato de Laranjeiras em destaque nacional

0

O artesanato de Laranjeiras vem ganhando destaque e espaço em outros mercados além Sergipe. Com o apoio da prefeitura, os artesãos e artesãs passam por uma formação contínua no sentido de focar sua produção voltada ao profissionalismo e geração de renda. Os investimentos no setor têm surtido efeitos positivos, uma vez que todas as peças produzidas pelos trabalhadores têm destino certo e são vendidas tanto em Sergipe quanto em outros estados.

Graças a essas ações, os 20 artesãos que trabalham no Centro de Tradições já se organizaram em uma cooperativa, na tentativa de fazer com que mais pessoas se beneficiem do artesanato local. No centro, os trabalhadores produzem, além

da renda irlandesa (Patrimônio Cultural do Brasil, que só existe em Sergipe), rendendê, chinelos customizados, peças em madeira do artista Ademar Lima (Demar) e as pirografias e as pinturas em tecido do artista Djenal da Silva.

A renda irlandesa

Um dos destaques do artesanato de Laranjeiras é a renda irlandesa, que se fez presente na última edição da Casa Cor Bahia, realizada em setembro passado, e considerada uma das maiores exposições de arquitetura e decoração do país. As peças ficaram expostas no ambiente sala de almoço, projetado pelo arquiteto Wesley Lemos, que é o único sergipano a participar do evento durante cinco edições consecutivas. 

A crítica não poupou elogios ao ambiente projetado por Lemos. “O profissional abusa da sensibilidade artística e apresenta uma sala de almoço que é a realização do sonho de toda jovem família contemporânea, fascinada por tecnologia, amante das artes, adepta da praticidade e fiel à tradição de reunir-se à mesa na hora das refeições. Exaltando a cultura de sua terra natal, almofadas, jogos americanos, toalhas e porta-guardanapos, made in Sergipe”, destacou a revista Casa Cor Bahia.

As peças apresentadas em renda irlandesa foram os jogos americanos, guardanapos, porta guardanapos, porta copos, toalhas de bandeja, toalhas de lavabo e toalhas de mão, todas elas confeccionadas pelas rendeiras de Laranjeiras, que fazem parte do grupo de artes e ofícios organizado pela prefeitura. “A participação da renda irlandesa neste evento foi algo muito importante, maravilhoso, porque além da sua divulgação, as rendeiras ganham novos mercados, contribuindo com isso, para a sustentabilidade do trabalho”, destacou a prefeita Ione Sobral.

A coordenadora do artesanato da Secretaria de Estado do Trabalho, da Juventude e da Promoção da Igualdade Racial, Marta Amaral, entidade governamental convidada para participar da Casa Cor Bahia, destacou que o artesanato de Laranjeiras vem crescendo bastante, e por esse motivo tem participado de todos os eventos locais, estaduais e nacionais, a exemplo do Arraiá do Povo, em Aracaju, do 10ª Fenart (Recife), da Mostra do Divino e da Casa Cor. “A importância de tudo isso é mostrar um trabalho de qualidade que vem sendo desenvolvido e a busca de novos mercados, além da divulgação do artesanato e do município”, justifica.

Marta Amaral acrescentou também que por conta da divulgação do artesanato em outras cidades e estados, os artesãos laranjeirenses já aumentaram a demanda de trabalho devido ao grande número de encomendas. “Este ano, no Arraiá do Povo, nunca se vendeu tantas peças. Por causa da exposição da renda irlandesa, as encomendas aumentaram bastante. Isso nos deixa muito orgulhosos quanto ao trabalho que estamos desenvolvendo, na tentativa de melhorar a qualidade de vida dos sergipanos e na busca de novas alternativas de geração de emprego e renda”, declarou.

Comentários