Bateras Beat traz Dino Verdade a Aracaju

0

Dino Verdade (Foto : Divulgação)
No dia 20 de novembro, a unidade Aracaju do Instituto de Baterias Bateras Beat estará realizando um workshop com Dino Verdade, um dos mais respeitados bateristas do país. Dino vai conhecer e conversar com os participantes e ensinar algumas das técnicas que o tornaram referência no instrumento.

Junto com Dino, também estará na capital o coordenador da unidade São Paulo do Bateras Beat, Naná Aragão. O curso será no Espaço Cultural Yázigi, a partir das 16 horas. As vagas são limitadas e quem quiser participar pode obter mais informações pelo telefone 3224-1307.

“Para quem gosta de bateria ou é músico, é uma rara oportunidade de ficar frente a frente com esta lenda. Dino desenvolveu uma técnica que virou referência mundial para quem toca ou deseja tocar bateria, sem falar de sua rica história como músico, já que ele foi integrante de várias bandas de rock, pop, blues e heavy”, explica a diretora Fabiana Mattar.

Edson Martins da Costa Verdade, o Dino Verdade, iniciou suas atividades musicais tocando piano aos 12 anos de idade. Passou depois pelo violão até descobrir em 1985 a bateria. Estudou com Marcos Brito, Zequinha Galvão, Tião Cruz e Paulo Rosbak. Tocou no grupo de percussão Cláudio Santoro, sob a regência de Marcos Vidal, timpanista da Orquestra Sinfônica de Brasília.

Em 1994, foi para os EUA estudar no Miami Percussion Institute, onde teve aulas com Chuck Silverman e Russ Miller, além de ter participado de workshops com Tony Willians, Elvin Jones, Jim Chapin, Gary Chafee, David Garibaldi, Steve Smith, Dave Weckl, Joel Rosemblat, Dom Famularo e John Jr. Robinson. Lá também gravou com a banda Stink Finger com quem fez mais de cinqüenta shows pela Flórida.

Retornando ao Brasil em 1996, participou de várias edições do Curso Internacional da Escola de Música de Brasília com Paschoal Meireles, Robertinho Silva, Carlos Bala e Cláudio Infante.

Passou ainda pelas bandas Akneton, Os Alices, Oficina Blues, Rarabichuebas, Cachorro Cego e StinkFinger (EUA). Em Brasília tocou com Adriano Faquini, Kiko Peres, Raique Makal, Georgia Brown e Nabi Clifford. Participou ainda da banda Alma Djem, com quem gravou dois discos e excursionou por cinco anos.

BATERAS BEAT

Desde 1992, Dino Verdade vem dirigindo sua escola, o Instituto de Bateria Bateras Beat, hoje com unidades espalhadas pelo país. Lançou sua própria metodologia para o ensino de bateria e vem escrevendo e idealizando novos métodos.

No ano de 1999, em Brasília, realizou em parceria com Vera Figueiredo workshops internacionais com Akira Jimbo, Dom Famulario, Richie Gajate Garcia e Virgil Donati.

Em 2000, Dino Verdade e sua equipe realizaram um feito inédito na América Latina, que ficou conhecido como bateras 100% Brasil. Reuniram 64 bateristas em uma só apresentação com a participação de Robertinho Silva. Em 2001, na segunda edição do evento, participaram 88 bateristas com uma nova peça escrita para quatro vozes.

“Este projeto vem sendo o foco principal de seu trabalho, que tem como objetivo juntar bateristas de todas as tribos no mesmo palco”, explica Fabiana.

Em 2004, foi convidado juntamente com o baterista Bacalhau (Ultraje a Rigor) pela Orion Cymbals para fazer demonstração de seus pratos na maior feira de instrumentos musicais do mundo, a Musik Messe em Frankfurt (Alemanha), onde tocou com vários bateristas de todo mundo com passagem por Paris e Amsterdã.

Em Aracaju, o Instituto de Baterias Bateras Beat fica localizado na rua Construtor João Alves, 403, no bairro Treze de Julho.

Comentários