Biblioteca Epifânio Dória recebe livros depois de 22 anos

0

Livros devem renovar parte do acervo da Biblioteca
A Biblioteca Pública Epifânio Dória encerrou na tarde desta terça-feira, 9, um hiato de 22 anos sem compra de livros para o acervo. As estantes, até então eram alimentadas por doações por parte de cidadãos comuns e do Sistema Nacional de Bibliotecas. O que, de acordo com a diretora em exercício Cláudia Stoker, não supria as reais necessidades da instituição.

Uma parte da atualização que o acervo necessita foi suprida com a entrega de 558 livros, através da Secretaria de estado da Cultura (Secult), resultado de um investimento de mais de R$ 30 mil. Ainda segundo Cláudia, essa é só a primeira das ações que visam modernizar e informatizar a Biblioteca. “Essa solenidade é um divisor de águas”, comemorou. Foram comprados exemplares da área de administração, contabilidade, livros didáticos, literários, entre outros.

Instituição estava há 22 anos sem comprar livros

A diretora da Epifânio Dória disse que uma parte dos trabalhos que visam dar uma nova cara à Biblioteca já estão em andamento e devem ter sua conclusão no final deste ano. “Vamos adquirir novos equipamentos, mobiliário, e faremos a digitalização da hemeroteca”, explicou. “Assim pretendemos ter uma frequência maior e atender melhor o usuário. Geralmente as pessoas pensam que toda biblioteca só tem livros velhos. Nós queremos que as pessoas movimentem mais a biblioteca”, completou.

O secretário adjunto Marcelo Rangel salientou que boa parte das ações planejadas pela Secult são resultado de parcerias com instituições. “Nós estamos marcando mais um passo de como deve ser feita a gestão da Cultura, envolvento outros braços”, afirmou.

Cláudia diz que biblioteca passará por mais melhorias
Incentivo a escritores

Durante a solenidade a Secult lançou o programa de Política Editorial de Sergipe. Resultado de uma parceria com a Segrase e o Banese, a iniciativa visa dar um incentivo à literatura sergipana, no sentido de valorizar os escritores locais. Rangel explica que o edital, a ser lançado no final deste mês, contemplará seis categorias de diferentes gêneros.

“Vai ser o primeiro edital de uma série. Vamos nos firmar nas mesmas parcerias”, diz. Além de lançar os livros, o secretário adjunto acrescentou que o programa trabalhará com a difusão da literatura sergipana. “Não adianta só lançar, é preciso ver como o livro vai ser comercializado, distribuído. Vamos valorizar esse produto, inclusive fora de Sergipe”, afirmou. As obras também serão distribuídas para todas as bibliotecas do Estado.

Comentários