Cabeça de Frade: 17 anos de sucesso

0

Cabeça de Frade matém o forró de raiz com exaltação a Gonzaga
Com 17 anos de estrada o Cabeça de Frade está prestes a ganhar a maioridade, mas isso não que dizer que musicalmente isto já não tenha ocorrido. “O grupo surgiu em 1988 nos arredores da região Sul do Estado com a denominação de Nordeste Independente. Então cresceu e se tornou Cabeça de Frade, sendo que sou o único remanescente da formação inicial”, revela Floriano Cabeça, vocalista e líder do grupo.

Em 91, o grupo gravou o primeiro LP, ainda em vinil. O primeiro sucesso viria com o “Forró do Penetra”, em 92. Depois disso vieram “Cavaleiro Solitário”, “Pum no Arraiá de Zé Premo”. Em 1994, o Cabeça de Frade estouro nacionalmente com a música “Homem bom e cadê o boi”. “Também gravamos “Cabeça chegou” em 1996, dentre outros sucessos. Recentemente, lançamos o nosso novo trabalho que contou com a participação de Dominguinhos, Osvaldinho e Genaro”, revela Floriano.

Segundo o líder do grupo, antigos sucessos ganharam uma roupagem nova para serem incluídos no CD, que ainda conta com cinco músicas inéditas. A maioria das músicas são de composições de Floriano em parceira com Josa, João Firmino Cabral, Ismar Barreto, Boy e Jorge Dute. “Cantamos o Nordeste. O homem sertanejo, suas dores e personagens, que existem em grande número. Personagem é o que não falta”.

HISTÓRIA – Floriano explica que a escolha pelo nome “Cabeça de Frade” se deu porque ela é um cacto da família do mandacaru, que tem várias utilidades e representa bem o homem nordestino. “Cabeça de Frade por ser um afrodisíaco, um amuleto contra mal olhado, ou alimento para o gado”. Segundo o músico o grupo exalta e explora a musicalidade nordestina e nada mais justo do que usar um autêntico símbolo da região.

Por Ailton Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais