Campanha “Pra Tocar” é lançada por músicos sergipanos

0

Campanha “Pra Tocar” quer estimular música Sergipana (Fotos: Portal Infonet)
Foi lançada na manhã desta sexta-feira, 14, a campanha ‘Pra Tocar’ que tem o objetivo de aproximar a produção musical local com as rádios de Sergipe, formando parcerias. O ‘Pra Tocar’ é fruto da idéia de diversos músicos, produtores e técnicos de som, surgida no ‘Fórum Música Sergipe’.

Segundo o representante da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Eduardo Prudente, a Secult tem apoiado todas essas iniciativas. “A Secretaria dialoga com a classe musical e ela deve estar fortalecida. Esta é a primeira ação pública em Sergipe que tem o objetivo de fomentar a música. Nós somos parceiros do projeto, pois acreditamos que somente através de um fortalecimento dos músicos a gente consegue abrir um diálogo maior com os empresários”, disse.

Eduardo Prudente disse que a Secult apóia a campanha
Pela Lei Municipal 3211/04 as rádios locais são obrigadas a tocarem em sua programação 15% de música sergipana. De acordo com o músico Antônio Rogério, da dupla ‘Antônio Rogério e Chiko Queiroga’, essa campanha atinge a essência da música sergipana.

“É válido para toda a cadeia produtiva musical em Sergipe, se a nossa música não tocar nas rádios o povo não conhece e a gente deixa uma lacuna para que outros artistas de fora ocupem esse espaço. Essa campanha é uma semente que irá dar bons frutos para toda a cadeia produtiva musical”, afirmou.

Para o músico, cantor e compositor, Gládston Rosa, a iniciativa irá somar valores. “Somente assim podemos sensibilizar os 

Antônio Rogério e Ton Ramos
empresários para tocar mais a música sergipana. Afinal, a nossa música é a melhor música do Brasil em minha opinião, falta um estímulo para gente alçar novos vôos”, apontou.

O também músico Ton Ramos disse que o foco principal é o público sergipano. “É uma oportunidade ímpar, a importância já vem da forma como ele foi criado, pois as pessoas que estão coordenando têm a propriedade para negociar com os órgãos públicos e com as rádios. Quem sai ganhando com isso é o público de Sergipe que vê a sua música valorizada”, finalizou.

Por Bruno Antunes

Comentários