Casaca de Couro receberá título de cidadão aracajuano

0

Joaquim Antônio Ferreira de Souza (Casaca de Couro) (Foto: Assessoria de Imprensa)

O músico cuiabano, Joaquim Antônio Ferreira de Souza (Casaca de Couro), receberá nesta quarta-feira, dia 27, às 10h, no plenário da Câmara Municipal de Aracaju, o título de cidadania aracajuana. A outorga é de autoria da vereadora Rosângela Santana.

Joaquim, o mais velho de uma família de três filhos, mudou-se para Aracaju ainda nos anos 80, quando seu pai veio realizar trabalho de topografia em Rosário do Catete e Carmópolis.  Seu Raimundo era um amante da boa música e deixou o legado de um vasto repertório tanto para Joaquim, quanto para suas irmãs, a jornalista Rita Simone e a professora do IFS, Tânia Regina, ambas vivendo em Aracaju.

Foi ao ingressar na Universidade Federal de Sergipe que Joaquim pode iniciar sua caminhada no campo musical, ao participar, por vários anos, do Grupo de Canto Coral Porisseucanto, como baixo e tenor. “Tanto nosso regente, Jorge Roberto, quanto meu professor de violão no Cultart, Alvino Argolo e o maestro Muskito, com quem desenvolvi o projeto Cantoria Versos e Viola, nos anos 90, foram muito importantes para minha formação musical. A Celebração Popular pelo Mártires de Canudos, que acontece todos os anos às margens do Cocorobó, também foi um espaço para eu aprender com grandes mestres, construir amizades e parcerias”, diz Joaquim.

Em 1998, com o objetivo de fortalecer a música regional brasileira, ele criou o grupo Casaca de Couro. “Eu, que tocava somente o violão, me dediquei a estudar o acordeon. A cada passo nessa nova caminhada, eu me apaixonava mais e mais por esse instrumento. Hoje, compreendo que a sanfona foi uma mola propulsora para que minha arte fosse cada vez mais afinada com essa cultura que amo tanto, a sergipana, que há muito tenho como minha, apesar de ser filho de um piauiense e uma maranhense, ter nascido em Mato Grosso e crescido vivendo em sete diferentes estados brasileiros”, comenta o músico.

Joaquim Antônio tem uma filha, Cecília. É economista e trabalha no INSS, onde atua também como diretor de imprensa do Sindiprev e coordenador dos federais da Confederação Nacional dos Servidores em Saúde, Trabalho e Previdência Nacional- CNTSS. Mesmo com toda a demanda cotidiana, tem recebido inúmeros prêmios por seu trabalho musical. Em 2009, por exemplo, foi eleito o melhor cantor de forró pé-de-serra com o Troféu Sanfona de Ouro. Em 2011, sua banda Casaca de Couro, foi eleita, por votação popular, a melhor banda de forró de Sergipe, com o troféu Sanfona de Ouro.

Presença marcante no Forró Caju e nos inúmeros arraiais de Sergipe e do Brasil, a Casaca de Couro é uma vitrine para o pensamento deste músico. “É através no nosso repertório e dos nossos arranjos que posso contribuir para divulgar nossa cultura nordestina e sergipana. Me sinto muito orgulhoso por estar recebendo essa outorga, um grande reconhecimento à nossa caminhada em construção de uma música de qualidade e um mundo socialmente mais justo”, afirma. Para maiores informações sobre o trabalho do Casaca de Couro visite o site.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais