Cláudia Raia estréia musical em Aracaju

0

“Pernas Pro Ar” já passou por São Paulo, Recife, Florianópolis, entre outras (Fotos: Léo Versa/Divulgação)
Cláudia Raia traz à capital sergipana o seu mais novo musical, ‘Pernas Pro Ar’. Com argumento de Luis Fernando Veríssimo, texto de Marcelo Saback e direção de Cacá Carvalho, o espetáculo será apresentado no Teatro Tobias Barreto nesta quinta-feira, 17, e na sexta-feira, 18.

Para criar o ambiente da divertida história de uma dona de casa, que canta e dança a aventura de mudar de vida através de grandes sucessos da música mundial, Cláudia foi ousada na montagem e, após três anos longe dos palcos, estudou as possibilidades tecnológicas que gostaria de mostrar. Assim, ‘Pernas Pro Ar’ conta com projeções volumétricas, softwares, sensores, câmeras e projetores. São 20 toneladas de equipamentos e uma equipe com mais de 150 pessoas envolvidas na montagem do espetáculo.

A tecnologia está em harmonia com o desempenho, dedicação e técnica dos artistas liderados pela atriz, que teve uma exaustiva preparação de oito horas por dia, durante três meses. O elenco conta com as participações especiais dos atores Marcus Tumura e Ruben Gabira, além de nove atores-bailarinos.

São 20 toneladas de equipamentos e e mais de 150 pessoas envolvidas
Sete músicos executam a trilha do espetáculo ao vivo, sob a regência e direção musical de Paulo Nogueira, para as versões musicais realizadas por Bibi Ferreira, Sylvia Massari, Zé Rodrix e Claudio Botelho.

Esse é o primeiro musical que Cacá Carvalho dirige. O gabaritado ator/diretor está surpreso com os talentos que encontrou. “O universo dos musicais no Brasil na última década começou a ficar muito rico e hoje há uma produção de inegável qualidade que gera uma quantidade de artistas com ferramentas e talentos incríveis. Tentei encontrar um modo que desenvolver uma infraestrutura na qual eles tivessem oportunidade de ser o que eles são e pudessem criar”, afirmou.

‘Pernas pro ar’ traz recursos tecnológicos inéditos em um espetáculo brasileiro, como a projeção volumétrica, recurso que já foi utilizado por Madonna e pelo Cirque du Soleil e que, por meio de imagens 3D, dá a impressão que o ator está dentro de um cenário. A Coddart, empresa especializada em cenografia digital, projeção em volumes e projetos de interatividade tornou viável essa inovação.

Espetáculo fica em cartaz na capital nesta quinta, 17, e na sexta, 18
A inédita tecnologia utilizada no musical é a responsável por tornar real a imersão da personagem em seus próprios sonhos, como em uma cena em que a personagem de Cláudia Raia gosta de um vestido na vitrine da loja e, imediatamente, o vestido é projetado em seu corpo. Ou dos diabinhos que andam junto ao fogo.

Outra inovação poderá ser conferida no figurino de Marcio Medina, que contou com materiais inusitados, como roupas de papel. O visual de Cláudia Raia é de papel, plástico e couro, causando impacto sempre que a personagem entrar em cena. Já os bailarinos, usam ternos feitos com voil, tecido muito comum em cortinas.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais