Conversando Fotografia recebe Marcio Vasconcelos

0

(Foto: Marcio Vasconcelos)

A décima quarta edição do projeto Conversando Fotografia recebe o fotógrafo maranhense Marcio Vasconcelos. O debate será realizado na terça-feira, dia 27 de março de 2012, na Sociedade Semear, às 19h. Esta é a primeira visita do fotógrafo ao estado após a realização de dois bem sucedidos documentários fotográficos que cruzaram histórias em Sergipe: Zeladores de Voduns do Benin ao Maranhão e Na Trilha do Cangaço – Um Ensaio pelo Sertão que Lampião pisou.

Em Zeladores de Voduns do Benin ao Maranhão, Marcio Vasconcelos realizou uma pesquisa sobre as semelhanças entre os sacerdotes que cuidavam dos cultos aos voduns no Benim e os chefes dos Terreiros de Minas, no Maranhão. O fotógrafo fez o caminho de volta à terra da Rainha Agotimé, que vendida como escrava para o Brasil, conseguiu encontrar representantes do seu povo no Maranhão e iniciar uma nova etapa do cultos no país por meio da fundação da Casa de Minas.

Para realizar essa pesquisa, que passou pelas cidades de Cotonou, Abomey, Allada, Ouidah, Calavi e Porto Novo, o fotógrafo contou com a parceria do antropólogo africano Hippolyte Brice Sogbossi, que é professor da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Durante 25 dias eles percorreram os terreiros do Benim fotografando os principais nomes dos cultos aos voduns e conhecendo melhor a trajetória da crença na África.

No Brasil, Vasconcelos repetiu a mesma busca no Maranhão, dando ao projeto um corpo de pesquisa singular tanto para antropologia quanto para a fotografia, que é a sua forma de expressão. O projeto Zeladores de Voduns do Benin ao Maranhão foi vencedor do I Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras, promovido pelo Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves – CADON e pela Fundação Cultural Palmares.

Por sua vez, em Na Trilha do Cangaço – Um Ensaio pelo Sertão que Lampião pisou, Marcio Vasconcelos chegou a Sergipe buscando vestígios da trajetória do Rei do Cangaço, em locais que foram singulares para a consolidação do mito de Severino Ferreira: Canindé do São Francisco e Poço Redondo. A primeira é uma rota importante para as trilhas percorridas pelo cangaço pela sua proximidade com o rio. A segunda é onde se localiza a Grota do Anjico, local da emboscada que vitimou Lampião, Maria Bonita e vários outros integrantes do bando.

Poço Redondo também é histórica para o cangaço pelo número de participantes que migraram para o movimento liderado por Lampião. É na região que agrega as duas cidades que Marcio Vasconcelos encontrou descendentes e fotografou os vestígios da passagem do rei do cangaço. Para fazer todo o projeto, contudo, foi necessário percorrer cerca de 3 mil quilômetros. Além de Sergipe, ele esteve Pernambuco, Alagoas, Bahia e Ceará entrevistado personagens e mergulhando no universo imagético da lenda de Lampião. O projeto recebeu diversos prêmios, incluindo o primeiro lugar na décima primeira edição do tradicional Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia.

A trajetória de Marcio Vasconcelos como fotógrafo inclui ainda diversos outros ensaios documentais sobre a cultura popular do Maranhão e, em especial, a herança religiosa do estado. Os demais projetos podem ser vistos pelo site. Para o Conversando Fotografia, o fotógrafo deve trazer mostras de seus principais trabalhos para discutir com o público. A mesa também vai contar com a presença do antropólogo Brice Songbossi.

Na ocasião, também será sorteado um exemplar do livro Nagon Abioton – Um Estudo Fotográfico e Histórico sobre a Casa de Nagô, que traz um belo ensaio sobre um dos terreiros mais importantes do Maranhão. Porém, quem quiser adquirir poderá fazer após a palestra. O fotógrafo disponibilizará alguns volumes para venda e preço de cada exemplar será 60 reais.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários