Eliminatória do Alumiar atrai sergipanos e turistas

0

Várias bandas se apresentaram neste domingo, 9 (Foto: Divulgação Secult)

Foi dada a largada para o festival que promete agitar o cenário musical sergipano durante as próximas semanas – valorizando as composições e os artistas da terra. Trata-se do ‘Alumiar – I Festival de Novas Composições de Forró’, que teve sua primeira eliminatória realizada neste sábado, 8, no palco do Balaio Cultural, na praça de eventos da Orla de Atalaia, e atraiu centenas de pessoas apaixonadas pelo ritmo tipicamente nordestino – o forró.

O projeto, realizado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), em parceria com a Fundação Aperipê, tem apoio da ‘Casa do Artista’ (loja de artigos musicais), que fornecerá instrumentos para a premiação dos músicos. O principal objetivo do festival é revelar novos nomes da música sergipana, fomentando o mercado musical de artistas envolvidos com o forró.

Representando a secretária Eloísa Galdino no primeiro dia do festival, o secretário adjunto de Estado da Cultura, Marcelo Rangel, destacou a importância do Alumiar para o estímulo à produção musical em Sergipe.

“A Secult, com essa iniciativa, caminha no sentido de cumprir um papel fundamental, que é o de dar oportunidade aos músicos sergipanos, estimulando-os a produzir mais. É muito bom, também, perceber que nosso trabalho está proporcionando o acesso das pessoas à cultura sergipana. É de suma importância que esta ação se repita, agregando novos parceiros e torne-se constante na política cultural do nosso Estado”, explanou o gestor.

Artistas satisfeitos

Participaram da primeira eliminatória do ‘Alumiar – Festival de Novas Composições de Forró’, 11 competidores, sendo oito pela categoria ‘Letra e Música’ e três na ‘Música Instrumental’. Dois de cada categoria foram selecionados para a grande final que ocorrerá no dia 5 de novembro, Dia Nacional da Cultura. Para os artistas, o festival é a grande chance de mostrar seu trabalho para seus conterrâneos.

Rosy Félix é um desses exemplos. Há oito anos, ela trabalha como cantora e vê no Alumiar uma forma de reconhecimento enquanto artista. “Quando fui selecionada senti uma sensação maravilhosa, pois como artista quero ser conhecida em minha terra e esta é uma oportunidade ímpar”, frisou a intérprete de ‘Noite de São João’.

Já o compositor e intérprete da música ‘Semente no chão’, Antônio Melo, elogiou a iniciativa da Secult na realização do festival. “Estou muito feliz com essa iniciativa, pois os compositores sergipanos precisam desse estímulo. Todos nós temos que estar unidos para que a música sergipana, principalmente o forró, se expanda”, ressaltou o artista que compõe desde os anos 80.

Público animado

Como em todos os eventos promovidos pela Secult (Balaio Cultural, Arraiá do Povo, Liras Sergipanas, entre outros), o principal objetivo é unir pessoas de todas as idades, desde crianças até os mais velhos, na celebração da cultura sergipana. No primeiro dia do Alumiar não podia ter sido diferente, estando presentes sergipanos e turistas das mais diferentes faixas etárias.

A família Assis foi até a arena de apresentações conferir a participação de cada candidato. Acompanhados do seu filho Arthur Assis, de 9 anos, Fátima Assis e Sebastião Pereira, não esconderam sua preferência e torcida para o cantor Kleber Melo. “Sou uma apaixonada pela nossa cultura, por isso vim aqui prestigiar o evento. Eu e meu marido já dançamos muito forró hoje e não nego minha torcida pelo cantor Kleber Melo”, contou Fátima, que faz parte de um grupo folclórico do estado.

De férias em Sergipe, o casal paulista, Conceição dos Santos e Aparecido Pelisser, afirmou que está é a primeira vez que vêm a Aracaju e já estão encantados com a cidade. “Estávamos no hotel e percebemos toda a movimentação. Estou adorando o festival, principalmente porque dá oportunidade a estes artistas e os motiva. Está bem animado”, elogiou Conceição.

Estudo da cultura popular

Para o doutor em Filosofia e História da Educação, especialista em cultura popular e professor aposentado da Universidade Federal de Sergipe (UFS), José Paulino da Silva – que compareceu ao evento -, o Alumiar apresenta novas gerações de artistas ao público sergipano, sendo também uma oportunidade para que eles participem de outros festivais.

“Este é o momento de aparecimento de novas gerações de compositores e intérpretes do nosso estado. Festivais como esse são muito bons para renovar esses tipos de produção da cultura popular brasileira. Daqui certamente muitos jovens vão se projetar em outros festivais, em outras oportunidades. Isso tudo é importante que aconteça para essa valorização da musica popular brasileira”, explanou o especialista.

Classificados

Após a noite de muito forró, quatro artistas já foram classificados para a grande final. Na categoria ‘Música Instrumental: Guga Montalvão, com a música ‘Cobra e Doende’; e José Gentil, com ‘Um choro no baião’. Já na categoria ‘Letra e Música’ foram classificados: Tonho Baixinho e Trio Ave Rara, com a música ‘Cabelão’; e Kleber Melo, intérprete de ‘Coração Sergipano’.

A segunda eliminatória ocorrerá neste próximo sábado, 15. No dia 22, haverá uma pausa, retornando o festival com a terceira eliminatória no dia 29 de outubro. A grande final está marcada para o dia 5 de novembro. O ‘Alumiar – Festival de Novas Composições de Forró’ tem início sempre às 20h e é realizado no palco do Balaio Cultural, na praça de eventos da Orla de Atalaia.

Confira a programação:

Dia 15/10 – A partir das 20h

Categoria Melhor Letra e Música (dois se classificam para a final)
Casaca de Couro – Brincariê, brincaria
Joseane Dy Josa – Gogó só para criança
Nino Karvan – Fogo no canaviá
Edson Costa – Hino do Sertão
Paulo Roberto M. Andrade Júnior – Macaxeira
Sérgio Lucas – Ré maior
Toni Edson – Pollyanna
Wilson Segal – De pai para filho

Categoria Melhor Música Instrumental (um se classifica para a final)
Alberto Silveira – De Piranhas a Canindé
Robson Batinga – Forró Viola
Dia 29/10 – A partir das 20h

Categoria Melhor Letra e Música (dois se classificam para a final)
Balança Eu – Por caridade
Banda Coração Xonado – Acordes pra cantar
Banda Xoxotear – Você vai ver
Carlos Moreno – De braços abertos
Jairo de S. Oliveira – Chuva sangue da terra
Markão – Ladeiras do coração
Pedrinho Mendonça – Pé de mata fome

Categoria Melhor Música Instrumental (um se classifica para a final)
Edinho do Acordeon – Forró Sapeca
Odir Caius – Baião Serigy

Dia 5/11 Final – A partir das 20h

6 selecionados da Categoria Letra e Música
4 selecionados da Categoria Instrumental

Fonte: Ascom Secult

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais