“Em Tempo,” em cartaz até 23 de outubro

0

Fotos foram tiradas do modo convencional, com filme (Fotos: Divulgação)
O Palácio-Museu Olímpio Campos recebe a partir desta terça-feira, 21, a exposição “Em tempo,” com imagens produzidas pela fotógrafa sergipana Camile D”Ávila. A mostra traz 21 fotografias, todas em preto e branco, tiradas à moda antiga – com câmera de filme – e reveladas em laboratório analógico. Uma instalação com monóculos que traz imagens atemporais também fará parte da mostra. Em cartaz até 23 de outubro, “Em tempo,” é a segunda individual da fotógrafa que ano passado estreou com “Dá Iô Iô: Lambe-sujo x Caboclinhos”, na Galeria de Arte Álvaro Santos.

Em comum, além da opção pela película em preto e branco e pelo processo de revelação em laboratório analógico, o mesmo jeito de olhar o sentir que fez a autora querer começar a fotografar. “É brincadeira de menino, fineza de trabalho, suor do corpo das gentes abrindo caminho entre os pêlos. Lugar que cada um tome como seu e lembre o que há de lembrar”, diz Camile.

Processo analógico

“Em tempo,”, o título, assim, entrecortado com vírgula e tudo, surgiu durante a gestação da exposição.  “É o que se vê com peito aberto e o que dá pra vislumbrar de soslaio, pra ser
 ‘em tempo’, pra vir quando quem sentir também perceber; e sempre vale, seja
quando for. Sombra, implícito, nebuloso… cada um ache dentro de si. É o que eu também ainda quero dizer. Porque é ainda em tempo, e pra tempo de mais por vir”.

O nome da exposição condensa também o processo no espaço-escuro de revelação no laboratório. Na demora de um outro tempo – o de maturação imagem por imagem, diferente do tempo da agudeza da máquina digital. “A tempo, ritmado no tempo de exposição e do balanço da bandeja dos químicos, para não perder a liga. Percebendo as nuances dos médios de cinza, o brilho do branco, a força do preto. Achando o grão no foco, mesmo que a foto seja desfocada”, explica a fotógrafa, ao relatar a experiência de se enfurnar três semanas para revelar e ampliar o material da exposição no laboratório analógico da fotógrafa Bete Savioli, em São Paulo.

Sobre a fotógrafa

Camile d´Ávila, 28, já expôs na Galeria de Arte Álvaro Santos (Dá Iô Iô: Lambe-sujo X Caboclinhos, individual, outubro/2010) e no Centro Universitário Maria Antônia da Universidade de São Paulo (mostra coletiva, dezembro|2010). Passou pelos cursos de formação de fotografia do Museu Lasar Segall (SP) e do Centro Universitário Maria Antônia, da Universidade de São Paulo. Sergipana nascida em Salvador, mora atualmente em São Paulo. E no interior do mundo inteiro.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais