Entidades planejam volta do “EsperançArte”

0

Criado em agosto de 2010 para atender jovens residentes em abrigos, o Projeto “EsperançArte” está passando por um processo de avaliação e reformulação que visa à ampliação do número de crianças e adolescentes beneficiados. A iniciativa consiste na oferta de atividades culturais na Escola Oficina de Artes Valdice Teles (EOAVT).

No ano passado, ainda da fase ‘piloto” da iniciativa, 120 jovens abrigados participaram do projeto, realizado aos sábados, das 14h às 17h. A proposta é oferecer uma formação cultural e facilitar o acesso ao lazer aos jovens inseridos nas instituições de acolhimento participantes do projeto.

A iniciativa é realizada em parceria com diversas entidades, como a ONG ‘Canarinhos de Aracaju”, Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc), Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social (Seides) e Funcaju.

Enquanto as secretarias estaduais e municipais e a ONG Canarinhos de Aracaju dão suporte logístico, viabilizando transporte, alimentação, instrumentos e equipamentos, a Funcaju cede o espaço da EOAVT e alguns professores para realização das oficinas.

Ajustes

Segundo Daiana Azevedo, chefe de Seção de Convênios da Funcaju, recentemente houve reuniões para discutir o método e a didática aplicada. O projeto está sendo avaliado e ajustado pelos técnicos participantes para garantir a qualidade das ações.

“Como se trata de crianças e adolescentes que exigem do profissional um entendimento de causa e demanda, foi necessário esclarecer e orientar os professores que estariam incumbidos de executar as ações, uma vez que são eles que estarão frente a frente com o público-alvo do projeto”, informou.

Para Daiana, o projeto garante o lazer e desenvolvimento artístico e cultural das crianças e adolescentes. “Não limitá-los ao perímetro e às atividades de suas instituições é de fundamental importância para elevar a auto-estima e faze-los pensar em outros horizontes, influenciando suas perspectivas de futuro e fazendo com que eles usufruam do que é de direito”, defende.

Cadastro

As instituições de acolhimento no perímetro da capital que ainda não estão inseridas no projeto podem procurar a Escola de Artes Valdice Teles através do telefone (79) 3211 6913 ou o NAIA – Núcleo de Apoio à Infância e Adolescência para saber de que forma podem participar.

Fonte: Funcaju

Comentários