Espaço Cultural da Alese recebe exposição

0

Exposição fica em cartaz até 13 de abril (Foto: Divulgação)
O Samba de pareia de Laranjeiras, a arte de Paulo Hora, o artesanato de Marta Amaral, as fotografias de Fabiana Costa e a literatura de Rosane Cabral são as atrações de março e abril no Espaço Cultural Djenal Queiroz, na Assembleia Legislativa. As exposição ficam de 24 de março – quando acontece o coquetel de abertura, até 13 de abril abertas para o público.

No mês dedicado às mulheres, à capital sergipana, ao teatro e à poesia, o hall da Assembleia recebe grandes talentos da música, artes plásticas, literatura e fotografia. “Mãos à arte e fé na vida”, tema da mostra desse mês, explica a curadora Ilma Fontes, é a valorização da cultura popular e a divulgação da produção artística de Sergipe que são “marca dessa nova legislatura, dessa gestão que se inicia”.

Nas artes plásticas, o talento de Paulo Hora será mostrado ao público. O artista, que começou em 2004 ao participar do XVI Salão de Novos de Aracaju, já mostrou seus trabalhos em quatro edições do evento. Num deles, ganhou o Prêmio de Revelação (2010). Sem formação acadêmica e cursos de especialização, busca influência em artistas famosos como Van Gogh e Picasso. “Sua mistura de raça descende de portugueses, italianos e africanos, talvez isso explique as misturas de cores fortes de forma tão leve e clara”, afirma Ilma Fontes, que destaca exposições de Paulo Hora na Energisa, no Cultart e no Mirante da 13 de Julho.

Marta Amaral é outra atração. A artista, paulista de Catanduva, veio morar em Aracaju onde realizou trabalhos para o historiador Luiz Antônio Barreto. Dirigiu vários órgãos públicos no setor de artesanato. Na Prefeitura de Laranjeiras e no Pronese também comandou o setor onde atua. Foi diretora por cinco anos do Centro de Cultura e Arte da Orla de Atalaia. Habilidosa, produz peças como tapeçaria, e restaura tapetes de todas as nacionalidades. “Tece enquanto os outros dormem o seu sonho de artista”, observa a curadora Ilma.

O hall da Assembleia Legislativa recebe também o talento de Fabiana Costa, aracajuana formada em Jornalismo (pela Unit) que se voltou para a área do fotojornalismo. Observadora atenta, fez cursos com Márcio Garcez, José Aquino e Lúcio Telles. Buscou ainda o que Isa Vanny e Marcelle Cristine tinham a lhe emprestar profissionalmente. Trabalhando na Secretaria de Estado da Cultura (Secult), fotografa festivais de teatro, musica, artes plásticas, folclore, tudo que enriquece a cultura popular.

Na noite de abertura da mostra, Rosane Mangueira Cabral estará autografando “Dinâmica Relacional Etc & Tal”. Natural de Aquidabã, formou-se em Pedagogia pela Faculdade Pio Décimo. O segundo passo na área acadêmica foi dado com uma pós-graduação na Universidade Federal de Sergipe (UFS) – “Educação no Terceiro Mundo”. É mestra em Ciências da Educação pela Universidade Internacional de Lisboa (Portugal). A obra que será lançada no dia 24 de março é o quarto livro da escritora, que vai contribuir com as discussões no cenário educacional sergipano.

A música não poderia faltar. Os convidados para o coquetel de abertura do Espaço Cultural vão acompanhar uma apresentação do Samba de Pareia, gênero que deriva do nome Parelha por ter uma formação de dois pares que se destacam e se sucedem na roda. O Samba de Pareia ocorre sempre que nasce uma criança na comunidade de Mussuca, em Laranjeiras. O objetivo é manifestar a alegria do grupo com a chegada do recém-nascido. A dança naquela região surgiu na época áurea dos engenhos de cana-de-açúcar. Os negros trouxeram o samba de roda para Sergipe, sem mistura com brancos ou índios. O Samba de Pareia tem um ritmo parecido com o Samba de Coco.

Fonte: Agência/Alese

Comentários