Espaços culturais estão fechados em Aracaju

0

Teatro Tobias Barreto fechará por todo mês de fevereiro
Com a paralisação do Teatro Tobias Barreto durante todo o mês de fevereiro, para a realização da manutenção do espaço, os artista sergipanos terão apenas o Teatro Lourival Batista como opção de espaço para apresentações, já que o Teatro Atheneu continua fechado para reforma.

Segundo a gerente artística Nildete Santos, o fechamento do teatro Tobias Barreto durante esse período é realmente necessário. “Como funcionamos durante praticamente todos os dias do ano, é de extrema necessidade parar o funcionamento por um mês, para cuidar do espaço”, ressaltou Nildete.

Agendamento

Gerente artística do teatro Tobias Barreto
Outra situação freqüente é a falta de datas para conseguir agendar o espaço no Tobias Barreto. De acordo com a gerente, existe uma demanda muito grande de solicitações. “Não é questão de distinção entre artista ou local não, nós buscamos priorizar apresentações teatrais. No entanto, buscamos atender da melhor forma a todos que solicitam”, explicou Nildete.

Para o produtor artístico, André Vilela, existe uma sobrecarga, para o Tobias Barreto. “Como ele comporta um número maior de pessoas, os empresários acabam preferindo marcar as pautas lá”, comentou.

Segundo André, é preciso mandar ofício com muita antecedência, para consegui uma vaga. “Eu mesmo já tenho pauta marcada para dezembro de 2010, porque fiz um pré-agendamento em dezembro de 2009”, relatou o diretor.

André Vilela diz que Teatro Atheneu está fazendo falta

Para o produtor, a procura pelo Teatro Lourival Batista é menor não só por conta da capacidade de público, mas pela estrutura. “Nós buscamos o Tobias Barreto porque, além da capacidade, ele oferece uma excelente estrutura” comentou André.

Particular

De acordo com a auxiliar administrativa do Teatro Lourival Batista, Maria Nildes Couto, poucas pautas estão agendadas para os próximos meses. “Não temos muita coisa marcada, no mês de fevereiro mesmo, só no final do mês e ainda assim não está confirmada”, explicou Nildes.

A auxiliar também relatou que existe uma procura grande para eventos particulares de pequenas proporções. “Acontecem eventos como formaturas do ABC, ou algumas coisas parecidas. Tivemos recentemente um grupo do Piauí que apresentou um espetáculo, mas na maioria é evento particular”, comentou.

Atheneu

Teatro Lourival Batista é pouco procurado para espetáculos
O produtor André Vilela também ressaltou a importância do teatro Atheneu que está fechado para uma reforma. “Estamos sentindo falta desse espaço, que é muito importante não só para nós produtores, como também para os artistas da capital”, comentou ele, acrescentando que o mesmo está sem funcionar desde que iniciou a obra, em setembro de 2008.

Segundo a Secretaria de Estado de  Cultura (Secult), Eloísa Galdino, a reforma do Teatro Atheneu ficou prejudicada por causa do mau desempenho da empresa contratada para a execução do convênio. “Conforme Cehop, medidas de advertência foram oficialmente tomadas na tentativa da correção do problema e não houve solução, gerando rescisão contratual. Diante disso, uma nova licitação teve que ser feita para dar continuidade à obra, porém uma empresa que perdeu o certame entrou com recurso, por isso, teremos que esperar o julgamento e a decisão da comissão”, informou.

De acordo com a Secult, a obra inclui a recuperação do assoalho, fornecimento e instalação do sistema de ar condicionado, construção de rampas na platéia e adequação dos sanitários para

Teatro Atheneu continua fechado até decisão sobre a licitação da obra
deficientes físicos, reforma da bilheteria, pintura interna e externa e reforma da cobertura.

Eloísa Galdino ressaltou que responde pelo Teatro enquanto gestora de Cultura do Estado, ”Infelizmente, temos que lidar com empresas que  não cumprem com as suas responsabilidades e participam de licitações sem possuírem condições para executar as obras. Também gostaria de pontuar que assumi a Secult em 20 de maio de 2009 e,  desde então, busco formas  de agilizar a conclusão da obra”, pontuou.

Por Alcione Martins e Raquel Almeida

Comentários