Evento vai discutir produção independente na TV

0

Eloísa Galdino, secretária de Estado da Cultura (Foto: Fabiana Costa/Secult)
Produtoras de TV, representantes de emissoras, estudantes e pesquisadores de audiovisual e economia criativa de Sergipe vão conhecer as oportunidades para a produção de conteúdo independente para a televisão na próxima segunda-feira, 18, a partir das 17h, no auditório do Sebrae, em Aracaju. As ‘Perspectivas da Produção Independente para TV’ serão apresentadas pela Associação Brasileira de Produtores Independentes de Televisão (ABPI-TV), em evento que pretende estimular também a participação de Sergipe no mercado nacional de televisão, realizado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Fundação Aperipê e Sebrae-SE.

A idéia de realizar esta reunião em Sergipe nasceu a partir do contato feito entre a secretária de Estado da Cultura, Eloísa Galdino, e a coordenadora da associação, Daniela Pfeiffer. A articulação com os agentes da área, e a disseminação de informações vislumbrando o desenvolvimento de produção de conteúdo audiovisual para televisão no Estado, são as principais metas. Para atingi-las, há o interesse da ABPI-TV em manter uma parceria para capacitação técnica e outras ações que fortaleçam este tipo de produção.

O evento conta ainda com o apoio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (Sedetec), o Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira/Funcaju e a Associação Brasileira de Documentaristas em Sergipe (ABD-SE). Para a secretária Eloísa Galdino, o envolvimento de diversos órgãos públicos em torno do evento comprova a importância do fomento à cena do audiovisual em Sergipe.

“O empenho das instituições que apóiam esta reunião mostra que o Governo de Sergipe entende o audiovisual como uma área importante, tanto do ponto de vista cultural, como do econômico. Além disso, a TV é considerada por especialistas como o segmento do audiovisual que possui maior projeção econômica, o que aponta para a necessidade de aperfeiçoarmos o trabalho dos produtores independentes para que eles tenham cada vez mais qualidade, atraindo potenciais patrocinadores, e, conseqüentemente, ocupando um maior espaço nas emissoras de TV do nosso Estado”, declara a gestora.

A opinião de Eloísa é compartilhada pelo secretário adjunto de Estado da Cultura, Marcelo Rangel, que aponta o audiovisual como um setor estratégico, que atua em sinergia com a produção cultural local e como uma ferramenta de fortalecimento da imagem do estado. “Além disso, este segmento agrega setores e estratégias que envolvem o empreendedorismo e oportunidades de negócios para micro, pequenas e médias empresas. A taxa de crescimento médio anual do setor na América Latina e no Brasil está acima de 8%, superior às projeções para o mundo, que são de 6.6%. E com o fortalecimento das TVs públicas, a produção de conteúdo independente para a televisão tende a crescer no Brasil”, completou.

O acesso à reunião é gratuito e as inscrições serão feitas no dia do evento. Para mais informações, entre em contato com a Secult através do telefone (79) 3179-1924 ou enviando uma mensagem para o seguinte email: <contato@cultura.se.gov.br>.
 
Sobre a ABPI-TV

A Associação Brasileira de Produtores Independentes de Televisão (ABPI-TV) reúne  produtores independentes de TV e outras plataformas. É considerada uma das mais importantes entidades do setor audiovisual no Brasil. Seu principal objetivo é fomentar o crescimento da indústria audiovisual no país. São mais de 140 empresas associadas de diferentes estados, atuantes em diversos gêneros, como Animação, Documentário, Ficção, entre outros. A ABPI-TV representa os produtores independentes em várias discussões políticas de âmbito estadual e federal, tais como tributação, comércio, direitos autorais, radiodifusão, acordos de co-produção internacionais.

Para saber mais sobre a associação, acesse o site da ABPI-TV: www.abpitv.com.br.

Fonte: Secult

Comentários