Exposição Ruídos na Sociedade Semear

0

Mostra será aberta no próximo dia 18 (Foto: Divulgação)

No dia 18 de outubro às 19h, será aberta na Galeria Jenner Augusto (Sociedade Semear), a exposição RUÍDOS, do artista visual, xilogravador, Elias Santos.

O eixo norteador dessa produção xilográfica está na tentativa de compreender a natureza e o destino daqueles que transitam, e na ausência cada vez mais comum de uma reflexão sobre o esquecimento coletivo, quanto a importância da vida nas relações: pessoas, máquinas e velocidade.

A série investiga o caos que se apropriou do trânsito, reordenando os espaços circundantes. Também questiona a efêmera autonomia do domínio do homem sobre a máquina na busca de deslocamentos cada vez mais rápidos e conseqüentemente perigosos, nesses frágeis casulos.

Ruídos procura transitar através de um olhar gráfico sobre a aventura, que está cada vez mais abstrata, de um simples ato: ir e vir.

A exposição tem curadoria assinada por Marjorie Garrido, coordenação e expografia de Silvane Azevedo e design de Gabriela Etinger. Conta com o apoio da Semear, Senac, Restaurante Mãe Preta, Impacto Comunicação Visual, Superlux,  Impressão Total, Restaurante Corno Velho, J. Andrade e Casa Digital.

Sobre Elias Santos

Artista visual, xilogravador. É também instrutor, fomentador e produtor cultural no cenário das artes visuais em Sergipe. Estudou como bolsista na Escola de Belas Artes da UFBA, participou de oficinas de xilogravura e litogravura no Museu de Arte Moderna da Bahia e desenho no Colégio Comunitário de Lincon em Rhode Insland nos Estados Unidos. Cursa História pela Universidade Tiradentes. Foi premiado em Salões de Arte pelo país. Fez diversas exposições individuais e participou de inúmeras coletivas. Em 2009 expôs no Museu Casa da Xilogravura em Campos do Jordão/SP.

No ano de 2010 participou do livro ‘O Rei e O Baião’, com xilogravura em homenagem a Luiz Gonzaga e em 2011 fez parte da mostra ‘Xilogravura Nordestina: trajetória e evolução’ em Fortaleza/CE.  Com a xilogravura foi contemplado, até o momento, em mais de seis editais de cultura, entre Funarte, Ministério da Cultura, Banco do Nordeste, realizando oficinas, exposições, intervenções e ações educativas com o intuito de fomentar e multiplicar seu conhecimento, contribuindo para a valorização desta técnica. Em 2005 criou o projeto Gravura de Inverno com o objetivo de desenvolver ações para a difusão da arte da xilogravura pelo Estado de Sergipe, com o qual já percorreu mais de 25 municípios. Atualmente vive e trabalha em Aracaju/SE.

Fonte: Divulgação artista

Comentários