Exposição traz mais de 30 obras de artistas consagrados

0

Não, não é uma exposição como outra qualquer, esta que a Superintendência da Caixa Econômica Federal vai abrir amanhã à visitação pública, no segundo piso do Shopping Rio Mar. Ela reúne 30 quadros que resumem 60 anos de arte brasileira, no campo pictórico, contando praticamente a história das Artes Plásticas no Brasil durante este século XX que está se findando. A Caixa Econômica Federal dispõe em seu acervo de mais de 800 peças.

Em 1997, organizou-se a I Bienal de Artes Visuais do Mercosul. O crítico Federico Morais selecionou 30 obras que lhe pareceram as mais importantes. Finda aquela exposição, o Presidente da Caixa Econômica, Sr. Emilio Carazzai, entendeu que era oportuno oferecer ao povo brasileiro conhecer sua própria obra. Por isso, autorizou que aqueles 30 quadros viajassem pelo Brasil. Várias capitais já foram visitadas. No Nordeste, Salvador e Recife tiveram a primazia. Agora, chega a vez de Aracaju. De amanhã, 16, até o dia 9 de julho é possível se ver, ao vivo e a cores, alguns dos mais importantes e históricos trabalhos das Artes Plásticas brasileiras.

As obras vão estar numa antiga loja do segundo piso do Rio Mar, das 10 às 22 horas, todos os dias e aos domingos, das 16 às 22 horas. A entrada é gratuita. Os artistas que estão na exposição são os seguintes: anita Malfatti (“Valencia”, trabalho de 1927); Di Cavalcanti (“Os Pescadores”); Guignard (“Flores com Paisagem”); Vicente do Rego Monteiro (“Composição”, um trabalho abstrato); Alfredo Volpi (“Tatuapé”), José Pancetti (“A Casa de um Pescador”); Aldo Bonadei (“Flores”); Francisco Rebolo (“Floresta”); Djanira (“Trabalhadores de Cana”) , Carlos Scliar (“Independência”); Abelardo Zaluar (“Inconfidência”); Dionisio Del Santo (“Tema Vibrações = 110”); Myra Landau (“Rítmo Retangular 2”); Omar Rayo (“Nodobilia XXIX”); Aluisio Carvão (“Inconfid6encia”); Maria Leontina (“Composição”); Milton Dacosta (“Figura”); Sonia Ebling (“composição de Concreto Verde II”), Tomie Ohtake (obra sem título); Antonio Bandeira (“Paisagem”); Emeric Marcier (“Paisagem”); Farnese de andrade (“Repouso”); Raimundo de Oliveira (“A Procissão”); Antonio Poteiro (“Brasília e a Constituiçào”); Gastão Manoel Henrique (“Inconfidência”); Claudio Tozzi (“Janela”); Emmanuel Nassar (“Cidade Bandeira”) e Artur Barrio (“Figura”). Esta é a primeira vez que obras destes artistas são expostas para o público aracajuano e sergipano.

Comentários