Familia de Joel Silveira tem que provar que ele foi a guerra

0

(Foto Genérica/Arquivo Portal Infonet)

Um dos sergipanos mais ilustres em todos os tempos é o nome do Jornalista Joel Silveira (1918-2007), que foi o repórter brasileiro mais importante durante a Segunda Guerra Mundial. Posteriormente, já no final da vida, ele foi Secretário de Cultura do Estado de Sergipe.

A sua passagem pelo palco da Segundo Guerra está relatada em vários livros, o primeiro, “Histórias de Pracinha”, lançado em 1945 e o último, “O Inverno da Guerra”, lançado em 2005. Ele era detentor de uma pensão como ex-combatente que foi cancelada pouco antes de sua morte, em 2007, a pedido da Advocacia Geral da União, que alegou que ele não provou sua condição de ex-combatente: teria faltado um diploma emitido pelo Exército.

Para a AGU, o fato de Joel Silveira ter atuado na guerra como jornalista não o caracteriza como ex-combatente. Agora os parentes de Joel pretendem recorrer ao Superior Tribunal de Justiça. A família espera receber o pagamento correspondente aos meses entre a morte dele e a morte da mulher, Iracema, que faleceu em 2010. O valor chega a duzentos mil reais.

Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais