Festas Juninas continuam em Rosário

0

João Vieira: a festa irá continuar
Quem pensa que a festa de Rosário do Catete acaba hoje está muito enganado, a partir do dia 18 de junho inicia a segunda etapa do São João da cidade que termina somente no dia 2 de julho. Segundo o secretário de cultura, João Vieira, a festa será iniciada com o São João dos Idosos,  que terá apresentações de quadrilha e o concurso da idosa do ano. “Esta festa também tem o cunho social e a prefeitura sempre oferece a eles também uma lembrança para quem participa”, disse.

No dia 23 os festejos juninos acontecem na rua Santo Amaro. “Estes festejos são tradicionais e o departamento de cultura irá dar uma ajuda com som e colocar trio pé de serra,onde as quadrilhas se apresentam”, relatou.

Já o  São João da Educação, que é conhecido como “Educando vai”, irá acontecer no Balneário. E nos dias 25 e 26 acontecerá o concurso interno municipal de quadrilhas juninas, onde serão reunidas a maioria das quadrilhas do estado de Sergipe.

Logo após o concurso de quadrilhas, os festejos continuam com o São Pedro na rua da Ponte que acontecerá no dia 02 de julho. Esta festa  é organizada pela associação dos moradores. “Onde também se apresentarão as quadrilhas, forró pé de serra e o batalhão dos idosos”,disse.

Segundo o secretário, estes festejos não acontecem na mesma época da Festa do Catete, porque são produzidas por diversas associações diferente e elas têm a liberdade de escolher o melhor dia.

MUDANÇAS -A cidade sempre teve as festas juninas como tradição, mas o secretário de cultura lembrou que de uns 50 anos para cá já aconteceram muitas mudanças. “40 casas que faziam novenas e depois aconteciam as festas, as brincadeiras de roda e os forrós. Seguindo depois, o grande casamento de Tabaréu”, disse ele, acrescentando  que vinha o cortejo até a cidade para acontecer o “casamento” num arraial montado pelos próprios moradores.

Outra lembrança do secretário foi de que a comunidade tinha o costume de colocar diversas fogueiras em suas portas e ao seu lado um mastro.”Geralmente era de um arvoredo que não produzia fruto”, disse ele, lembrando que a diminuição desta tradição caiu pela metade.

João Vieira informou que a novena de Santo Antônio ainda é feita por oito casas e somente uma faz a de São João. “A diminuição desta tradição é a falta de valorização da cultura popular. Eu estou secretário de cultura, mas não posso dizer outra coisa, pois trabalho para manter os grupos folclóricos na cidade e sei as dificuldades para mante-los”, finalizou.

Por Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais