Forró Siri também gera renda

0

Há 35 anos que D. Josefina Santos vende acarajé na praça da Catedral Metropolitana em Aracaju, e como comércio é sua fonte de renda, a “baiana do acarajé” , como é conhecida popularmente, percorre festas levando seu tempero. Desde o início do Forró Siri que ela montou uma barraquinha. Além de vender acarajés, também tem churrasquinhos e queijo assado na brasa. “Ontem o movimento nas vendas foi bom e espero que a cada dia aumente, pois a programação da festa está muito boa e isso chama mais gente, aumentando as minhas vendas”, explica. D. Josefina pretende ficar durante toda a festa, apesar de também ter outra barraca montada no Forró Caju, na capital, onde a sua filha toma conta das vendas. Isso é o Forró Siri! Uma festa popular, na qual todos além de curtir também podem faturar uma renda extra.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais