Historiador lança dois livros em Aracaju

0

Livros apresentam tipos físicos entre Sergipe e Alagoas (Foto: Portal Infonet)
O historiador Douglas Apratto lançou na tarde desta sexta-feira, 28, os livros ‘Rio São Francisco: um ninho de cultura’ e ‘Uma Viagem para não esquecer: Pierre Verger em Alagoas’. Publicados pela Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresass, (Sebrae/AL). As obras também contam com a co-autoria da folclorista Carmem Lúcia Dantas.

Lançados no Café do Palácio Museu Olímpio Campos, os livros trazem abordagens que contemplam o destino cultural e ambiental no Velho Chico e seus 2,8 km de extensão, além da passagem do fotógrafo Pierre Verger por terras alagoanas em meados da década de 50. As obras são resultados de dois anos

Douglas Apratto diz que um dos livros traz a representação do homem são franciscano
de bastantes pesquisas e estudos por parte dos autores.

Para Douglas Apratto, os dois trabalham acabam apresentando ao público tipos físicos entre Sergipe e Alagoas, a partir de uma identidade regional comum.

“No livro sobre o São Francisco temos a representação do homem são franciscano, tanto da parte de Alagoas, quanto do lado sergipano. Então a intenção é de mostrar o quanto esses dois estados possuem características históricas, culturais e sociais bastante comuns”, explica o autor.

Ele conta que além de ter a finalidade de estreitar relações entre os dois estados, as obras tendem a possibilitar o

Lançamento dos livros aconteceu na tarde desta sexta-feira, 28
conhecimento da história, cultura, formação e o sentido de pertencimento a região do São Francisco.

“As pessoas devem entender a existência de laços culturais entre Sergipe e Alagoas que ultrapassam as fronteiras dos estados. Temos que estar unidos na defesa do nosso patrimônio”, diz Douglas Apratto.

Quebrando o isolamento

Para o jornalista e historiador sergipano Luiz Antônio Barreto, os livros acabam representando o desejo pela quebra do isolamento que por muito tempo existiu entre os dois estados

Gizelda Morais diz que preconceito entre estados vizinhos deve acabar
do nordeste em questão. “O Rio São Francisco não pode ser um obstáculo entre essas duas unidades tão comuns quanto Sergipe e Alagoas”, diz.

É o que também pensa a escritora sergipana Gizelda Morais.  “Morei nove anos em Alagoas e acho ótima esta interação entre essas duas culturas. Temos que acabar com o preconceito pela questão do ‘vizinho’, sendo que ainda há um isolamento entre estes pólos tão semelhantes. Está sendo muito interessante esse intercâmbio”, completa Gizelda.

O historiador Luiz Antônio Barreto diz que está em processo de diálogos e planejamentos a criação de um portal online em

Luiz Antônio Barreto afirma que o Rio não deve ser um obstáculo entre estados
Sergipe, onde serão divulgadas diversas peças da literatura, poesias, artigos, dentre diversas composições comuns nos dois estados. “Será uma forma de aproximar esses dois: os sergipanos e os alagoanos”, observa.

Outras parcerias

Estas não foram as primeiras obras que Douglas e Carmem já produziram em dupla. Diversas publicações históricas como ‘Arte Sacra em Alagoas’, ‘Caminho do Açúcar’, ‘Cartofolia Alagoana’ e ‘A Casa das Alagoanas’ foram resultados da parceria entre estudiosos.

Por Victor Hugo

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais