Horas Lilás

0

Nas cinzas das horas

Um anjo resvala sombre ombros descobertos;

Esperança!

Nas cinzas das horas lilás,

Uma súplica

E um desconcerto.

 

Nas rosas do tempo,

Um lampejo

E um acalanto no desespero;

Fermento.

 

Tudo se transforma.

Se renova.

 

E as horasirisadas

tornam-se horas-confetes;

Horas solidárias;

Rosa entre corpos, mentes e almas.

 

Semente germinada

Neste mundo febril, frio e dormente de agora.

 

Por Gustavo Aragão.

 

●Todos os direitos autorais estão reservados ao autor perante a lei nº 9610/98, lei de direitos autorais. Portanto, fica terminantemente próibida a reprodução parcial ou total da obra sem autorização prévia do autor.
 


 
 

 


 


 
 

 

 

Comentários