Instituto Histórico e Geografico de Sergipe celebra 98º aniversário

0

Convidados aguardam início da sessão solene (Fotos: Portal Infonet)
Considerado como um museu da memória sergipana, o Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE) comemorou nesta sexta-feira, 6, o seu 98º aniversário de fundação. Para celebrar a data uma sessão solene foi organizada e incluiu, em sua programação, a execução dos Hinos de Sergipe e do Brasil, e a posse de dois novos sócios, assim como a apresentação do relatório de gestão. Também houve o lançamento do número 39 da Revista do IHGSE; e lançamento do livro “Euclides da Cunha e o sertão de Canudos”, de José Dionísio Nóbrega. Além disso, três oradores falaram sobre importantes personagens que fazem parte da história do Instituto.

Em homenagem ao sesquicentenário de nascimento de Amintas José Jorge, a palestrante Clotildes Sousa falou sobre a história do ex-presidente do Instituto que liderou uma importante campanha contra o analfabetismo. Em seguida, a superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e oradora oficial do IHGSE, Terezinha Oliva, discurssou sobre a importância da escolha da Praça São Franciso como patrimônio da Unesco. Finalizando em homenagem ao centenário de nascimento de João Batista Peres Garcia Moreno, o secretário de Saúde de Aracaju e ex-presidente do Instituto, Antonio Samarone abordou a história deste importante personagem sergipano.

Presidente do Instituto Samuel Albuquerque falou sobre a celebração dos 98 anos de criação
Segundo o presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe Samuel Albuquerque, a sessão solene é realizada em duas datas todos os anos. “Uma, às vésperas da emancipação de Sergipe, no dia 7 de julho, e outra no aniversário do Instituto, criado em 6 de agosto de 1912, com o objetivo de divulgar e preservar a memória de Sergipe”, afirma.

Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe

O Instituto, carinhosamente chamado de “A Casa de Sergipe”, é uma das principais entidades culturais do nosso Estado e um importante centro de pesquisas sobre a história, a sociedade e a cultura dos sergipanos.

Além de preservar e divulgar a memória local, o Instituto possui um importante acervo documental, distribuído em seu arquivo que possui 328 caixas de documentos; a biblioteca com 43.000 volumes de livros e de periódicos, dos quais 9.247 pertencem à sessão sergipana; museu e pinacoteca. A instituição também publica, anualmente, a ‘Revista do IHGSE’, o mais antigo e importante periódico científico em circulação no Estado, prestando serviços inestimáveis aos pesquisadores e às comunidades estudantil e acadêmica.

Por Bruno Antunes

Comentários