Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe comemora 96 anos

0

Ibarê Dantas, historiador e cientista político
Inaugurado em 1912, em uma época onde Sergipe ainda não oferecia cursos de nível superior, o Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGS), também conhecido como “Casa de Sergipe”, foi o primeiro centro de discussão dos problemas do Estado ao tempo em que produzia saber através de sua revista e recolhia materiais documentais para preservá-los. Passados 96 anos, o Instituto conseguiu um acervo abrangente com jornais, quadros, livros e revistas, se tornando o centro de pesquisa mais significativo do Estado.

Comemorando quase uma década de preservação da cultura e da história sergipana, o presidente da “Casa de Sergipe”, o historiador e cientista político Ibarê Dantas, conta que o

Revista reunirá obras que abordam a história, geografia e cultura sergipana

instituto passou por momentos de crises, mas que em meados dos anos 40, a Casa passou a desempenhar um papel forte na sociedade. Além disso, destaca que com o surgimento da Universidade Federal de Sergipe (UFS), os acadêmicos passaram a estudar e pesquisar no Instituto, por conta da falta, na época, de uma biblioteca com um acervo consideravelmente bom.

Durante o período em que está à frente da presidência do Instituto, Ibarê diz que nesses quatro anos e meio, foram feitas reformas no prédio; digitalização de documentos antigos; recuperação de obras de artes; organização dos documentos da biblioteca, tornando-os inventários, ou seja, quem quiser ter 

Sede do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGS)
acesso basta acessar um computador do Instituto, além da construção de um mini-museu.

Para comemorar os 96 anos o Instituto vai estar lançando no final da tarde desta quarta-feira, 6, na sua sede, a Revista de número 37 e um Sumário de Fontes, que condensou todas as revistas que abordam a história, geografia e cultura sergipana. “O Sumário reuniu obras do ano de 1982 até o presente ano. Além disso, as revistas serão distribuídas e comercializados nas livrarias do Estado”, acrescenta.

Comentários