Instituto Kipá inicia atividades em Sergipe

0

Alguns integrantes do Instituto Kipá (Foto: Ascom/ NPD)
Sergipe agora pode contar com o mais novo impulsionador para o desenvolvimento do cenário audiovisual do Estado. Formado por 18 pessoas envolvidas com audiovisual, entre estudantes e profissionais, o Instituto de Estudos e Produção em Audiovisual de Sergipe, o Kipá, promete difundir a cultura sergipana através do audiovisual.

“Kipá é a flor do espinho do mandacaru, que resiste ao intenso clima quente do deserto e suas adversidades. O Instituto Kipá nasceu também com esse sentido de resistência em que o audiovisual acaba sofrendo, principalmente em Sergipe”, explica a publicitária e coordenadora de comunicação do Kipá, Aline Lisboa.

Motivação

Segundo Aline, a idéia de criar o instituto surgiu após a equipe participar de uma intensa maratona de cursos realizados neste ano no Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira. “Lá tivemos um intenso contato com elementos que fazem parte da rotina do audiovisual. Percebendo que Sergipe ainda é carente de instituições que cuidam desse setor, vimos a necessidade de criarmos o Kipá”, relata.

Aline Lisboa, coordenadora de comunicação do Kipá (Foto: Portal Infonet)
O presidente fundador do Kipá, Marcel Magalhães, explica que o contato que a equipe manteve com profissionais do setor cinematográfico durante os cursos incentivou consideravelmente a formação do instituto. “Além da grande vontade em produzir, os cursos e os professores que encontramos no NPD Orlando Vieira foram grandes motivadores para o surgimento do Kipá. Eles nos mostraram as imensas possibilidades que podemos aproveitar para produzir audiovisual”, aponta Marcel.

No dia 20 de outubro deste ano, foi realizada a primeira assembléia do recente grupo para oficializar o surgimento do Kipá. Aline conta que ainda neste ano, a equipe pretende registrar o instituto nos trâmites legais para que sejam realizadas com seguranças as atividades do grupo.

Formação em audiovisual

O Instituto Kipá tem o objetivo de promover a formação teórica e prática em audiovisual. As atividades são realizadas de duas maneiras.  Primeiramente o instituto atua como cineclube, através do CineKipá. Durante todas as sextas, das 14h às 17h30, são realizados encontros com a intenção de oferecer uma formação teórica aos cineclubistas. As reuniões acontecem no NPD Orlando Vieira, parceiro do instituto, pois ainda não há sede própria do Kipá.

Marcel Magalhães, presidente fundador do Kipá (Foto: Michel Oliveira)
“Essas reuniões se estenderão até o final de 2011, e lá são feitos estudos sobre o cinema, do clássico ao contemporâneo, são realizadas oficinas, assistimos e discutimos curta-metragens, dentre outras atividades. Então o Kipá também objetiva fomentar a atuação do cineclube em Sergipe”, esclarece Aline.

Produções

Na segunda parte, o grupo realiza trabalhos de produções, a partir de projetos próprios, como roteiros de curta-metragens, por exemplo, ou de outras pessoas de fora do Kipá.

“Devido ao pouco recurso instrumental que temos, ainda optamos por produções de baixo orçamento. Além disso, também estamos fazendo pequenas coberturas de alguns eventos, como a que realizamos do Samurai Fest, realizado em novembro”, observa Aline.

Com relação às coberturas, por enquanto, a equipe ainda está em discussão pela viabilidade ou não de cobranças pelos trabalhos, que serviriam de fundos para o instituto, com o objetivo de trazer melhorias estruturais ao Kipá.

Equipe do Kipá em atividade (Foto: Manoele Veloso)
O presidente Marcel, explica que a cada projeto desenvolvido, existe um rodízio de funções dentre das atividades. “Quem é produtor em um determinado trabalho, em outro já pode atuar como cinegrafista, dentre outras coisas. Isso é muito importante, pois permite que cada um possa conhecer melhor e se familiarizar com os diferentes momentos da produção audiovisual”, ressalta.

Ele ainda acrescenta que a idéia é de futuramente abrir espaço para a adesão de mais pessoas ao kipá. “São 18 pessoas envolvidas com audiovisual que fazem parte da nossa equipe. Até agora já temos cinco projetos para produzir, através do instituto. Dessa forma o Kipá quer difundir a cultura sergipana através do audiovisual”, completa. 

TV Kipá

Dentre as ações desenvolvidas pelo grupo, o TV Kipá foi outra criação que tende a democratizar o acesso às produções audiovisuais, especificamente os curta-metragens sergipanos. A TV Kipá fica disponível no blog do instituto, sendo de livre acesso a todo o público.

“Todo o esforço em criar o Kipá surgiu da constatação de que existe grandes dificuldade na realidade do audiovisual em Sergipe. Então pretendemos reformular esse cenário através de um sério e eficiente instituto de estudos e produção em audiovisual no nosso Estado”, promete o presidente do Kipá, Marcel Magalhães.

Para saber mais sobre as atividades do Instituto de Estudos e Produção em Audiovisual de Sergipe, o Kipá, é só acessar o blog do grupo.

Por Victor Hugo e Raquel Almeida

Comentários