Instituto Tobias Barreto passa a funcionar na Unit

0
O fundador do ITB, Luiz Antônio Barreto (Fotos: Portal Infonet)

Com um acervo que inclui mais de 30 mil itens na forma de livros, fotografias, arquivos digitais e audiovisuais, o ITB (Instituto Tobias Barreto) será reinaugurado no dia 7 de novembro, às 19h, no segundo andar da biblioteca central da Unit (Universidade Tiradentes), na Farolândia. Em virtude de problemas de manutenção, o instituto corria o risco de ser fechado, o que não ocorreu devido a sua transferência para a universidade.

Segundo o historiador Luiz Antônio Barreto, fundador do ITB, a localização da antiga sede do instituto não era tão favorável à sua proposta de divulgação da obra de Tobias Barreto e das culturas erudita e popular quanto a Unit. “A qualidade do local gera melhores condições para o acesso. A universidade é o local mais apropriado: já tem uma clientela dentro”, explicou.

O estudante de História e Direito José Neilton Oliveira é um potencial ‘cliente’. Ele acha interessante a proposta de resgate da cultura e da história sergipana feita pelo ITB. “Muitas vezes isso é deixado de lado. As pessoas costumam ser mais ligadas à história mundial, mas é fundamental conhecermos nossa origem para nos situarmos”, opinou.

Livros antigos de Tobias Barreto conservam memória do autor

O instituto mantém registros históricos nacionais e até latinoamericanos, mas boa parte do acervo é voltada para a história local. São trabalhos acadêmicos, livros, fotografias do cotidiano sergipano – e até trabalhos de pesquisa feitos pelo próprio instituto, sob a mão de Luiz Barreto. Atualmente, o historiador trabalha em um guia online da bibliografia sergipana básica.

Memória de Tobias Barreto

Um dos focos do ITB, é claro, é a conservação e divulgação da obra de Tobias Barreto. “Um ponto importante do novo espaço do instituto é que o memorial de Tobias Barreto vai ser fixo”, contou Luiz Antonio.

Nascido no município que hoje leva seu nome, o filósofo sergipano Tobias Barreto é reconhecido internacionalmente por sua obra. No memorial feito de madeira que guarda sua memória no ITB, constam livros seus e de outros autores que escreveram sobre ele, além de artigos estrangeiros e objetos que o homenagearam. Algumas obras datam do século XIX.

Acervo multiplataforma

Discos de vinil fazem parte do acervo do ITB

A nova sede do Instituto Tobias Barreto contará também com uma sala multiplataforma, dedicada à exposição de tanto de jornais como de microfilmes, fitas K-7, discos de vinil e diversos outros formatos de áudio e vídeo. A sala estará equipada com aparelhos que permitirão ao visitante escutar e ver os registros da coleção.

A sala – que fornecerá de CDs dos ritmos chegança e taieira até folhetos de arte –, terá uma decoração que divulgará a artistas, escritores e acadêmicos de Sergipe. Dentre os homenageados, Luiz Barreto adianta os nomes da historiadora Maria Thétis Nunes e do artista plástico Cândido Aragonez de Faria. “O que quero é que o estudante venha aqui e veja uma imagem, uma capa de livro para que ele talvez se interesse por essas figuras”, disse o historiador.

Comentários