Lançado livro sobre recursos minerais em Sergipe

0

(Foto: Assessoria de Imprensa)

Um diagnóstico dos recursos minerais na área da construção civil, voltado para a comunidade técnico-científica, empresários do setor mineral e sociedade em geral. O resultado dessa análise integra o conteúdo do livro 'Materiais da Construção Civil Para a Região Metropolitana de Aracaju' que foi lançado na semana passada durante solenidade ocorrida no auditório da Federação das Indústrias de Sergipe (FIES).

Resultado do projeto elaborado pela Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, do Ministério de Minas e Energia, através da CPRM – Serviço Geológico do Brasil e pela Companhia de Desenvolvimento Industrial e de Recursos Minerais de Sergipe (Codise), a obra traz uma abordagem do Estado de Sergipe, com informações sobre o fornecimento de areia, arenoso e brita, bem como da argila, para as regiões produtoras de cerâmica vermelha, com indicações das fontes geológicas de suprimento, reservas, qualificação dos recursos, produção, processos produtivos, comercialização e preços de materiais.

Presente no evento, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Saumíneo Nascimento, destacou a importância da publicação para o setor da construção civil de Sergipe. “Uma obra literária é sempre uma contribuição para a eternidade e o material lançado hoje é rico em informações cartográficas e geodésicas, com potencialidades para o desenvolvimento da construção civil do Estado e apontando caminhos para que novos empreendedores possam investir em Sergipe”, disse o secretário ao destacar que o livro é de leitura fácil. “O conteúdo é de fácil absorção, até para quem não é da área e a obra deve se tornar um referencial para as empresas que utilizam esses insumos”, enfatizou Saumíneo.

“A Codise foi um dos apoiadores da iniciativa, que abrange principalmente a área metropolitana da Grande Aracaju, apresentando um mapeamento de todo o material que serve à construção civil e ainda as jazidas de argila”, ressaltou o presidente da companhia, Décio Portella, durante o evento. Conforme analisou, a partir das informações contidas no material, será possível planejar melhor a forma de explorar esses recursos. O livro foi elaborado pelos geólogos José Carlos Gonçalves, Marcos Donadello e Vânia Passos, além do geólogo sergipano, Rômulo Alves Leal, funcionário da Codise.

De acordo com Teobaldo Rodrigues, superintendente da CPRM para a Bahia e Sergipe, a obra nasceu da preocupação do governo Federal com a expansão da construção civil observado desde o ano de 2004 no Brasil e a escassez de material que isso poderia causar. "Foi criado o Plano Nacional de Agregados Minerais e a CPRM foi incumbida pelo Ministério de Minas e “Energias para criar o subprograma de materiais da construção civil, que foi estendido para todas as regiões metropolitanas do país e em Sergipe teve uma abrangência estadual, inclusive, por solicitação da Codise, foi incluída a questão da cerâmica vermelha”, disse ao destacar que o livro é um resultado desse trabalho e foi elaborado com base em questionários, entrevistas de campo e coleta de amostras realizadas entre os anos de 2010 e 2011. “A análise revela que pelos próximos 20 ou 30 anos não há com o que se preocupar em Sergipe, com relação a esses recursos”, afirmou Teobaldo.

Apresentada no final da solenidade pelo coordenador da obra, o geólogo José Carlos Gonçalves, a publicação é mais uma ação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que através do Programa Geologia do Brasil, vem desenvolvendo trabalhos em todas as regiões geográficas do país e cujo objetivo é proporcionar o conhecimento geológico e hidrogeológico do território brasileiro, gerando informações indispensáveis ao desenvolvimento sustentável.  O evento contou com a presença de diversos empresários sergipanos da área de construção civil, de representantes da Federação da Indústria e Comércio (FIES) e dos Sindicatos da Indústria da Construção Civil de Sergipe (Sinduscon), Tarcísio Teixeira, e Sindicato das Indústrias de Cerâmica e Olarias do Estado de Sergipe (Sindicer), Abílio Primo.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários