Lançamento do livro “Jenner Augusto: vida e obra”

0

(Foto: divulgação)

Neste mês de dezembro a Sociedade Semear comemora 10 anos de atividades e para celebrar a data em grande estilo, será inaugurada a exposição “JENNER AUGUSTO”, nesta quinta-feira, 15, a partir das 19h30, na galeria que leva o seu nome, na Sociedade Semear, com cerca de 30 obras do consagrado artista sergipano, tendo como curadores Mário Britto e Zeca Fernandes.

Durante o evento, será lançado o livro “Jenner Augusto: vida e obra”, organizado por Mário Britto e Zeca Fernandes. A publicação conta com textos escritos pelos organizadores e personalidades de referência local e nacional, a exemplo do Governador Marcelo Deda e do Sócio Idealizador da Sociedade Semear, Cezar Brito. O livro é ilustrado com obras de Jenner Augusto, fotografadas pelo seu filho Guto Silveira.

Essas atividades estão sendo coordenadas pela Diretoria de Cultura e Arte da Sociedade Semear, quem tem a frente, Cita Domingos. Para o Diretor Presidente Carlos Britto Aragão, “a realização desses eventos mostram, na prática, a filosofia da Semear, evidenciando o trabalho participativo, onde cada um faz sua parte com o outro. O aniversário da Semear é uma celebração da vida compartilhada”.

“Jenner Augusto” fica em cartaz até 15 de janeiro de 2012, com visitação de segunda a sexta das 09 às 19 horas.

Jenner Augusto

Jenner Augusto da Silveira (1924 – 2003). Sergipano, pintor, cartazista, ilustrador, desenhista, gravador. Reside em diversas cidades de Sergipe. Na cidade de Lagarto realiza cartazes para o cinema local. Em Laranjeiras, por volta de 1940, estuda a pintura de Horário Hora. Volta a morar em Aracaju em 1944, quando se dedica à pintura e trabalha no comércio. Em 1949, realiza gratuitamente painéis, em estilo modernista, para a decoração do Bar Cacique. Em 1949, muda-se para Salvador, e trabalha como assistente no ateliê de Mário Cravo Júnior.

Nessa época, participa com  Lygia Sampaio e Rubem Valentim da polêmica mostra Novos Artistas Baianos, realizada no Instituto Histórico e Geográfico da Bahia. Desenvolve na cidade alguns trabalhos plásticos sob encomenda, destacando-se o afresco Evolução do Homem, para o Centro Educacional Carneiro Ribeiro, realizado entre 1953 e 1954. Viaja ao Rio de Janeiro para expor individualmente, e conhece Cândido Portinari e José Pancetti, que o recomendam à crítica e aos colecionadores. Conhece ainda James e Jorge Amado.

Na década de 1960, pinta constantemente o bairro de Alagados e paisagens de Salvador. Em 1966, recebe convite para inaugurar a mostra Baianos na Filadélfia. No ano seguinte, viaja por França, Itália, Holanda, Inglaterra e Bélgica, onde conhece Paul Delvaux. Nas viagens, faz anotações, estudos e desenhos, editando-os em um álbum, publicado em 1970. Ilustra o livro de Jorge Amado Tenda dos Milagres. Há pelo menos três livros sobre sua obra: Jenner: A Arte Moderna da Bahia, de Roberto Pontual, editado pela Editora Civilização Brasileira, Os Alagados de Jenner, um álbum com cinco serigrafias e texto de Adonias Filho, editado pela Ranulpho Editora de Arte, e um livro-álbum denominado Jenner, com reproduções de sua obra, em cores e preto-e-branco, desde os primeiros trabalhos, publicado pela Imprensa Oficial da Bahia. Jenner Augusto dá nome a Galeria de Artes da Sociedade Semear.

Fonte: Ascom Semear

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais