Letra I – por Gustavo Aragão (Poema infantil)

0

Sou a terceira vogal, nona letra do alfabeto, Adoro brincar de produzir sons: ora produzo o som agudo, um som mais aberto. Ora o nasal, um som de nariz bem mais secreto; basta eu me unir com o m e o n para me tornar um som nasal completo. Entre os gregos fui um notável sinal, Indicava a unidade e o 9 como numeral; Já para os romanos, Entre todos, era o primeiro e valia 1. Quando eu me juntava à esquerda dos soldados-algarismos romanos, subtraía um, E quando me juntava à direita, somava outro. Para os latinos, ora me disfarçava de consoante, Ora vestia roupas de vogal. Adoro representar! Posso ser capitão, pirata Ou quem sabe astronauta?… Vou de baixo até lááá em cima E faço um ponto para depois despencar E volto lááá pra baixo bem suave Para mais belo ficar. Sou uma letra inteligente, adoro me aventurar Sou detetive, matemático, linguista… Aberto, oral, nasal; vivo a encenar. Por Gustavo Aragão Cardoso Todos os direitos estão reservados ao autor perante a Lei de Direitos Autorais. Fica proibida a reprodução ou utilização parcial ou total da obra sem a prévia autorização do autor.

Comentários