“Mago dos Museus” é contratado para desenvolver projeto do Banese Cultural

0

O curador Marcello Dantas, criador do Museu da Língua Portuguesa em São Paulo e considerado uma espécie de mago da museologia em várias partes do mundo, foi contratado para realizar os trabalhos de criação e desenvolvimento do Banese Cultural em Aracaju. O espaço, voltado para o resgate, preservação e divulgação da cultura sergipana, será administrado pelo Instituto Banese, órgão constituído para dar suporte institucional às ações de responsabilidade socioambiental e promoção cultural do Banco do Estado de Sergipe (Banese).
 
Reconhecido designer e curador de exposições desde 1986, Marcelo Dantas esteve esta semana em Aracaju para apresentar à direção do Banese o anteprojeto do Banese Cultural, que será instalado no antigo prédio do Atheneuzinho, cessionado pelo Governo do Estado, e cujas obras de reforma e restauração estão em andamento.
 
Dantas explicou que, na concepção do Banese Cultural, está utilizando o conceito de ‘Museu da Gente’, cuja proposta é buscar uma síntese da identidade do povo de Sergipe e seu meio ambiente. “A gente divide o museu em duas áreas essenciais, uma que á a natureza e a outra que é a gente. O anteprojeto que estamos executando mostra o que vai acontecer lá dentro do museu, como ele vai ser dividido, que tipo de atrações vai ter, qual a linguagem, novas tecnologias e meios interativos que vamos utilizar para transmitir às crianças e adultos as diferenças e diversidades do estado, suas manifestações culturais, sua história”, disse o curador.
 
“É com prazer que estou iniciando os trabalhos de criação e desenvolvimento do Banese Cultural. Resgatar a simbologia e os mitos da cultura sergipana, para mim, tem um valor especial, pois meu pai e meus avós são de Sergipe e fui criado imerso nesse delicioso caldo cultural. Quero que esse espaço seja uma referência na cultura do Nordeste do Brasil, como um lugar de identificação, elevação de estima e encontro”, disse ainda o curador, que além de formado em Cinema e Televisão e pós graduado em Telecomunicações Interativas pela New York Univesity, estudou História da Arte e Teoria de Cinema em Florença, na Itália, e Relações Internacionais e Diplomacia em Brasília.
 
Exposição
 
A exposição de Marcello Dantas sobre o anteprojeto do Banese Cultural foi acompanhada pelo presidente do banco, Saumíneo Nascimento, e pelos diretores Rodrigo Corumba, Vera Lúcia de Oliveira e Carlos Alberto Tavares, além do diretor-superintendente do Instituto Banese, José Edson Lima, o diretor de Programas e Projetos do Instituto, Ézio Déda, o gerente da Área de Marketing do Banese, Édivam Clinger, e a arquiteta Dayse Araújo, da Ágora Arquitetos Associados. O ex-presidente do Banese, João Andrade, atualmente secretário de Estado da Fazenda, e que preside o Conselho de Administração do banco, também prestigiou a apresentação, que foi realizada na sala de reuniões do Banese no Distrito Industrial.
 
Após a exposição, Marcello Dantas fez uma visita às obras de restauração arquitetônica que estão sendo realizadas no prédio do Atheneuzinho, na avenida Ivo do Prado, no centro histórico de Aracaju, onde funcionarão o Banese Cultural e a sede do Instituto Banese. O Banese está gastando cerca de R$ 5 milhões na recuperação do prédio, que será transformado em um importante centro de referência no resgate da memória cultural e de inovações tecnológicas a serviço da arte sergipana.
 
“Recuperar o Atheneuzinho, um dos principais patrimônios arquitetônicos de Aracaju, e transformá-lo em um grande centro de lazer e de cultura, que dará a dimensão exata da riqueza cultural do Estado de Sergipe, é um compromisso do governo Marcelo Déda com os sergipanos”, afirma o presidente do Banese, Saumíneo Nascimento.

Fonte: ASN

Comentários