Museu Histórico de Sergipe completa 61 anos nesta sexta, 5

0
Ao todo, o MHS é composto por 13 salas para visitações, com espaços permanentes e outros para exposições itinerantes (Foto: Secult)

O Museu Histórico de Sergipe (MHS), criado no ano de 1960, está completando 61 anos de história, nesta sexta-feira, 05. Para comemorar a data, a Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap) preparou uma programação que inclui a exposição “Toda Xilogravura”, de Mestre Nivaldo Oliveira, a instalação Cirandas de Bonecas, do Coletivo de Bonequeiras de São Cristóvão e apresentações de Dj.kaska, Vitor Assis e da cantora Amélia Dutra. A programação de aniversário do MHS foi transmitida através de lives, pelo Youtube da Aperipê TV, no período da manhã, direto do MHS. Todos os artistas que participaram das homenagens ao museu foram selecionados através dos editais providos pela Funcap, via Lei Aldir Blanc.

O MHS tem o título de primeiro museu público do estado e é composto por um acervo que remonta aos séculos XVIII, XIX e XX, com aproximadamente cinco mil peças – coleção de moedas históricas, acervo bibliográfico, mobiliários, quadros artísticos variados, bustos de personalidades sergipanas, fotos raras de personagens do cangaço, dentre outras relíquias.

Localizado na Praça São Francisco, no município de São Cristóvão, primeira capital de Sergipe e a quarta mais antiga cidade do país, o MHS funciona em edifício de linhas arquitetônicas em estilo barroco e conta, à parte, um recorte importante da história de Sergipe. O prédio, que em 1823 tornou-se Palácio da Província e em 08 de setembro de 2003 foi tombado pelo Estado, já foi cadeia, hospital, escola e residência particular.

Ao todo, o MHS é composto por 13 salas para visitações, com espaços permanentes e outros para exposições itinerantes. Dentre os espaços, destaca-se o dedicado à obra do pintor sergipano Horácio Hora, um dos mais importantes artistas plásticos do país, conhecido mundialmente por seus trabalhos que remetem ao Romantismo. O MHS, desde 2001, tem também a tutela do acervo do Museu do Homem Sergipano, através de comodato entre a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e a Funcap.

Sobre a comemoração

O diretor de cultura da Funcap, Fredson Santana, destaca o fato da data representar 61 anos de preservação de nossa histórica, ensinamentos e conquistas: “para nós, da Funcap, é um prazer imenso comemorar a data. No MHS está o acervo da memória de Sergipe, desde quando o Estado tornou-se independente da Bahia. Nós, da Funcap, em nome do Governo do Estado, queremos, nesse momento de comemoração, parabenizar a todos os sergipanos e sergipanas que construíram e que constroem o imenso e belo conteúdo que compõe o MHS”.

Lei Aldir Blanc

Os editais da Lei Aldir Blanc foram financiados com recursos da Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal com a realização do Governo do Estado de Sergipe, através da Funcap.

Programação

Exposições

-Toda Xilogravura de Mestre Nivaldo Oliveira
-Instalação: Ciranda de Bonecas – Coletivo de Bonequeiras de São Cristóvão

Atrações

– DJ Kaska – O folclore do futuro
-Victor Assis: Olho no Olho – Tipos sergipanos
– Amélia Daura- Show Encontro Casual.
Canal: You Tube  – Aperipê TV

Fonte: (Funcap/SE)

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais