NPD comemora quatro anos de atividades

0

Evento comemorou os quatro anos de atividade do NPD (Foto: Ascom/NPD)
“É uma satisfação comemorar o aniversário do NPD. A gente percebe que esta instituição tem consolidado cada vez mais o audiovisual em Sergipe, estimulando o interesse da moçada que gosta de cinema. Tenho orgulho deste Núcleo, que leva meu nome, ter chegado a quatro anos com tanta excelência”.

O
depoimento do ator Orlando Vieira foi o pontapé inicial da comemoração de aniversário realizada na noite desta quarta-feira.  O evento festivo contou com a presença da diretora presidente da Fundação Aperipê, Indira Amaral, do presidente da ABD/SE, Anderson Bruno, do presidente da Kinoarte, Bruno Gehring e do coordenador da Rede Cine Mais Cultura, Rodrigo Bouillet.

Homenagem

Orlando Vieria deu início às comemorações do NPD
A diretora presidente da Fundação Aperipê, Indira Amaral, foi a grande homenageada da noite, com o troféu Orlando Vieira. “Podemos dizer que a produção audiovisual em Sergipe, se divide antes e depois da implantação do Núcleo. Só temos registro de algo parecido na década de 60 e 70. Não é fácil trabalhar com este segmento. Antes não tínhamos espaços adequados para a produção e análise de obras audiovisuais. O Núcleo veio suprir essa carência”, avaliou.

Para o presidente da ABD/SE, Anderson Bruno, a evolução do Núcleo fomenta cada vez mais o audiovisual. “É muito bom perceber que as pessoas estão acompanhando o crescimento vertiginoso do audiovisual. O que falta ainda é as pessoas conhecer a nossa história e saber levar adiante, até para entender que temos mão de obra neste ramo. Ainda assim, nós estamos muito bem representados por esta instituição, no Brasil afora”, comentou.

Lançamento

A festa também contou com o lançamento da revista de cinema ‘Taturana’, do Instituto de Cinema e Vídeo de Londrina (Kinoarte). De acordo com Bruno Gehring, presidente do Kinoarte, a distribuição dos exemplares foi uma forma de prestigiar as ações que o Núcleo vem desenvolvendo. “Neste meio, não adianta produzir, é preciso exibir também. Estou encantado com a estrutura da instituição e com toda essa gama de produção e atividades em prol do audiovisual local. O NPD está de parabéns”, colocou.

Para abrilhantar ainda mais a noite, a Banda dos Corações Partidos apresentou um repertório com estilo próprio. Graziele Ferreira, coordenadora geral do Núcleo, ressaltou a importância da comemoração e dos quatro anos de atividades. “A necessidade de manter esta instituição vem sendo constatada no mercado de trabalho local. A produção tem aumentado bastante, não só por causa do edital de apoio, mas também em decorrência das realizações feitas pelos alunos. Esperamos que o Núcleo se desenvolva mais e mais, e que os próximos anos também sejam promissores”, afirmou.

História

O Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira surgiu no dia 1º de setembro de 2006, a partir de decreto assinado pela Prefeitura Municipal de Aracaju, em parceria com a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Esportes e a Secretaria do Audiovisual | MinC. Sergipe tornou-se um dos 11 estados selecionados no país para fazer parte do Programa Olhar Brasil com núcleo próprio.

Com a proposta de alavancar a produção independente local, o NPD exibe vídeos e oferece cursos e oficinas para capacitação e formação de novos profissionais. Nos últimos dois anos, foram 16 oficinas realizadas, 43 cursos, recebendo um total de 1863 inscrições e 905 alunos selecionados.

O NPD também foi palco de vários acontecimentos, a exemplo de palestras, debates e mostras.  Foram 29 ações e um total de público de quase 1800 pessoas. Além disso, foram produzidos 18 curta-metragens e 18 co-produções, incluindo os cinco vídeos contemplados pelo edital da Funcaju, em 2007.

Em 2008, o Núcleo recebeu Elisa Tolomelli, produtora-executiva dos filmes “Senhor dos Labirintos”, “Lavoura Arcaica”, “Abril Despedaçado” e “Cidade de Deus. Suzana Saldanha, René Guerra, Virgínia Flores, Rosana Urbes, Anderson Craveiro, Thalita Rubio e Marcos DeBrito foram alguns dos ministrantes que passaram pelo NPD.

Segundo a produtora Nadja Donato, ex-coordenadora de produção do NPD, houve um grande avanço nas ações do Orlando Vieira. “Atuei no período dos cursos modulares em audiovisual. De lá pra cá, tenho visto que as produções audiovisuais só têm melhorado. Cada gestão tem deixado sua contribuição. Esse aniversário deve ser comemorado com todas as honras e as atividades devem ser continuadas”, pontuou.

Para o coordenador da Rede Cine Mais Cultura, Rodrigo Bouillet, o investimento em arte é de longo prazo. “A política de democratização do acesso ao audiovisual é um fator de extrema importância neste universo. O NPD Orlando Vieira tem andado nesse caminho com bastante esforço. No Cine Mais Cultura sempre temos percebido a grande movimentação do Núcleo em Aracaju. O cinema em Sergipe está em um momento de transição com consideráveis mudanças”, ressaltou.

Fonte: Ascom/NPD

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais